O País – A verdade como notícia

Zambézia com défice alimentar de mais de 100 toneladas para afectados por ciclones

Perto de 10 mil famílias precisam de apoio alimentar na Zambézia. Os estragos dos ciclones Ana e Gombe continuam visíveis nos distritos do centro da província. Para responder aos apelos do INGD, 184 deputados da bancada da Frelimo, na Assembleia da República, apoiaram em alimentos.

A província da Zambézia está com défice de pouco mais de 100 toneladas de produtos diversos para assistir mais de 10 mil famílias afectadas pelo ciclone tropical Gombe. O delegado do Instituto Nacional de Gestão do Desastre (INGD), na província da Zambézia, Nelson Ludovico, explicou que, no âmbito do apoio às famílias afectadas pelos ciclones Gombe e Ana, decorre, neste momento, elaboração, junto dos parceiros humanitários, de um plano integrado de resposta e recuperação.

“Até ao momento, precisaríamos de mais de 100 toneladas de produtos alimentares e multiformes. Em relação a bens não alimentares, temos ainda necessidades em material de abrigo, mas felizmente estamos a ter uma resposta rápida e atempada. A Organização Internacional para as Migrações (OIM) já anunciou a vinda de mais de mil kits de abrigo para a província e estamos a aguardar que estes bens cheguem para apoiarmos as nossas famílias”, disse Nelson Ludovico, delegado do INGD na Zambézia.

Com os materiais que se aguardam da OIM, Nelson Ludovico fala de uma assistência para 10 mil famílias numa primeira fase. “Estamos ainda a resolver os problemas decorrentes do ciclone Gombe e afectados pelo ciclone Ana, então há um trabalho que estamos a fazer”, precisou o responsável.

Os dois ciclones Ana e Gombe arrasaram a província da Zambézia, destruíram residências e culturas diversas de pouco mais de 16 mil famílias. Os rastos de destruição ainda são visíveis, apesar dos esforços do INGD e parceiros humanitários na busca de soluções para suprir as necessidades das famílias alojadas num total de cinco bairros de reassentamento nos distritos da Maganja da Costa, Namacurra e Nicoadala.

Para ajudar na resposta do INGD, 184 deputados da AR pela bancada da Frelimo canalizaram bens alimentares. “Temos, aqui, 50 sacos de farinha de milho, açúcar, arroz, sabão e outros materiais para apoiar as famílias”, disse Zuria Assumane, deputada da Assembleia da República pela bancada da Frelimo.

O primeiro secretário provincial da Frelimo na Zambézia, Paulino Lenço, apelou, na ocasião, aos diversos actores da sociedade para optarem pelo gesto de solidariedade para com as famílias que sofrem, vítimas de desastres naturais.

“Todas as bancadas, no Parlamento, deviam fazer isso, porque não basta apenas falar sem agir para o bem da população que carece de apoio neste momento”, apelou.

Neste momento, continua o processo de assistência às famílias pelo INGD e parceiros de cooperação.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos