O País – A verdade como notícia

Zainadine e Witi entre os infectados com COVID-19

Os internacionais moçambicanos Zainadine Júnior, do Marítimo, e Witi Quembo, do Nacional da Madeira, estão entre os jogadores dos Mambas que testaram positivo para a COVID-19, tendo por isso ficado de fora do jogo desta segunda-feira entre Moçambique e os Camarões, referente à quarta jornada do Grupo F de qualificação para o CAN-2021, que os Leões Indomáveis venceram por duas bolas sem resposta.

Os dois jogadores moçambicanos estão já a cumprir a quarentena obrigatória e, por essa razão, vão falhar os próximos compromissos pelos seus clubes, nomeadamente diante do Casa Pia, para o caso de Zainadine, e Penafiel, para Witi, em partidas da Taça de Portugal, agendadas para domingo e segunda-feira, respectivamente.

Num comunicado emitido pela Federação Moçambicana de Futebol, que aponta oito jogadores infectados, não constam os nomes, mas sabe-se que além de Zainadine e Witi há casos de Clésio, do Zira do Azerbaijão, Reinildo, do Lille da França, Gildo, do Marítimo B, Chico, do TS Sporting da África do Sul, todos profissionais, para além de Telinho, do Costa do Sol, e Kito, do Ferroviário de Maputo, todos ausentes do jogo de segunda-feira pelo mesmo motivo.

De acordo com informações da Federação Moçambicana de Futebol, os jogadores estão todos a cumprir a quarentena em solo pátrio, aguardando pela realização do segundo teste, dentro de uma semana, para terem um resultado diferente e poderem seguir caminho para os seus clubes.

LUÍS GONÇALVES CONFIRMA TESTE POSITIVO DA COVID-19

Quem também testou positivo para COVID-19 é o seleccionador nacional, Luís Gonçalves, que por via dessa infecção não esteve no banco técnico a orientar a selecção nacional, tendo assistido ao jogo pela televisão.

Através da sua assessoria de imprensa, Luís Gonçalves confirmou que testou positivo e fez uma avaliação ao jogo em que os Mambas perderam diante dos Leões Indomáveis, por duas bolas sem resposta.

“Testei positivo, não fui para o banco de suplentes e vários atletas não puderam ir a jogo, pelo mesmo motivo. Isto alterou toda a estratégia do desafio. Ainda assim, a história do jogo demonstrou que, com mais eficácia, tínhamos, pelo menos, conseguido o empate. Desperdiçámos uma grande penalidade e várias oportunidades na ‘cara’ do guarda-redes. Por outro lado, o adversário aproveitou os nossos erros defensivos. Temos de continuar o nosso trabalho, sabendo que a decisão para o acesso ao CAN será em Março. Uma palavra de conforto para os meus jogadores que não puderam dar o seu contributo à equipa. O mais importante é estarem bem de saúde e que voltem rapidamente ao ativo”, disse Luís Gonçalves.

Para já, tal como os jogadores e um membro da equipa médica, o seleccionador nacional está medicado e em quarentena domiciliar.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos