O País – A verdade como notícia

VTB nega ultimato ao governo devido às dívidas ocultas

O Presidente da República, Filipe Nyusi, chegou na manhã de hoje a Sóchi na Rússia para participar da cimeira Rússia-África que se realiza na quarta-ta e quinta-feira naquela cidade. À sua chegada reuniu-se com a sua delegação mas também com executivos de três empresas russas. Uma delas é o banco russo VTB um dos co-financiadores das chamadas dívidas ocultas.

O encontro com o Presidente do Conselho de Administração daquele banco, Andrey Kostin, aconteceu no início da noite. No final do encontro, o banqueiro falou à imprensa moçambicana que acompanha a visita de Nyusi a Rússia e negou ter dado qualquer ultimato ao Governo de Moçambique sobre as dívidas ocultas cujo respectivo pagamento está suspenso. Essa informação foi posta a circular em Agosto por alguma imprensa nacional e estrangeira, mas Kostin diz ser falsa “nunca podemos dar um ultimato ao nosso amigo que é o Governo de Moçambique, não há como, não há como. De facto, tivemos uma boa discussão, não há nenhum ultimato de ambas partes, estamos disponíveis para cooperar e a ideia é trabalhar juntos e nunca dar ultimatos” esclareceu.

Em relação ao encontro disse que era sobre o futuro e não muito sobre o passado. O VTB quer entrar no mercado moçambicano e financiar alguns projectos estruturantes em parceria com outras empresas russas e por isso foi pedir apoio do Governo. “Pedi ao Presidente para nos ajudar e o Governo pode nos dar algumas sugestões de oportunidades, particularmente nas áreas da indústria de gás, indústria do carvão mineral, LNG, agricultura entre outras, que podemos investir conjuntamente com empresas russas. Combinamos que devemos visitar Moçambique antes do final do ano para continuarmos a discutir estas matérias com o Governo de Moçambique. Também falamos sobre a questão das dívidas e decidimos que vamos continuar a discutir esta matéria tentando buscar a melhor solução para isto” disse Kostin.

Filipe Nyusi reuniu-se ainda com o director geral da empresa Rosoboronexport e mais tarde com o PCA da Urakali. Todas empresas russas com interesse em investir em Moçambique. No final do encontro com a Urakali falou à impresa russa sobre a sua expectativa em relação à cimeira que amanhã inicia em Sóchi “esta é uma oportunidade para nós vendermos a imagem de Moçambique aqui na Rússia e aproveitarmos a plataforma para juntamente com outros países africanos encontrarmos mais oportunidades, agora por exemplo, acabamos de ter um encontro com a empresa de fertilizantes é extremamente importante isso porque significa que a nossa grande prioridade que é a agricultura pode ser alavancada. E durante a nossa presença aqui vamos nos encontrar com mais empresas com o objectivo de alavancar a nossa economia na base de mútuas vantagens entre Moçambique e a Rússia” disse o Governante.

Nesta missão, Filipe Nyusi faz-se acompanhar por 12 empresários liderados pelo Presidente da CTA, Agostinho Vuma. Os mesmos deverão participar no fórum de negócios Rússia-África que vai reunir empresários daquele país e africanos. Os empresários que integram a missão são os que já estão em contacto com a sua contraparte russo desde a visita de Estado de Filipe Nyusi realizada em Agosto, segundo deu a conhecer o presidente da CTA.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos