O País – A verdade como notícia

Visão Mundial e PNUD visitam “casa do povo”

Esperança Bias, presidente da Assembleia da República, recebeu, nesta terça-feira, separadamente, as delegações da Visão Mundial e do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), que vieram expressar o desejo de continuar e alargar o escopo de cooperação com a “casa do povo”.

Foi durante a manhã que Bias conversou com Wagner Herrman, director nacional da Visão Mundial e Narjess Saidane, representante do PNUD.

O primeiro encontro foi com a Visão Mundial, que já tem vindo a apoiar certos programas da Assembleia da República como foi o caso da lei sobre o casamento prematuro, violência doméstica e direitos da criança.

O objectivo desta visita, segundo explicou Oriel Chemane, porta-voz da presidente da Assembleia era “reafirmar o seu comprometimento para com a Assembleia da República em continuar com esta parceria (…) no sentido de, durante este quinquénio manter este apoio e alargar, acima de tudo, este apoio às outras comissões”.

Segundo explicou Chemane, até então, a parceria com a Visão Mundial centrava-se na Comissão dos Assuntos Sociais, do Género, Tecnologias e Comunicação Social, ou simplesmente, 3ª comissão de trabalho da Assembleia.

Contudo, foi manifestado o interesse de abranger a Comissão dos Assuntos Constitucionais, Direitos Humanos e de Legalidade, a Comissão de Agricultura, Economia e Ambiente, bem como a Comissão de Relações Internacionais, Cooperação e Comunicações, que são a 1ª, 5ª e 7ª comissão, respectivamente.

O director nacional da Visão Mundial explicou outros pontos que foram matéria da discussão com a presidente da “casa do povo”.

“Entre outras coisas, pudemos discutir sobre a nossa preocupação, também, partilhar (…) o facto de estarmos sensíveis aos desafios que temos tido no norte do país e no centro do país também”, disse ele.

Já a representante do PNUD descreve o encontro como uma “oportunidade de fazer um balanço da nossa cooperação passada e identificar as possibilidades para uma cooperação estratégica no futuro”.

Narjess Saidane esclareceu que nas próximas semanas, o PNUD terá oportunidade de identificar, com precisão, os objectivos de trabalho conjunto.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos