O País – A verdade como notícia

Vinte e duas pessoas morreram vítimas de mau tempo no país

Vinte e duas pessoas perderam a vida vítimas de chuvas, inundações e descargas atmosféricas registados nas regiões centro e norte do país, no intervalo entre o dia 1 a 19 de Novembro corrente, indica o balanço das primeiras duas semanas da presente época chuvosa, apresentado nesta terça-feira pelo Conselho de Ministros (CM).

De acordo com os dados, divulgados pelo porta-voz do órgão, Filimão Swaze, a maior parte das mortes foram resultado de arrastamento, na sequência de transbordo de rios.

“Registamos um total de 22 óbitos dos quais, 13 por arrastamento, oito por desabamento de paredes e um, por descargas atmosféricas” detalhou Swaze, na conferência de imprensa, no final da 38ª ordinária do CM.

Para além das fatalidades, o balanço aponta para o registo de destruições de várias infraestruturas públicas e privadas, com destaque para residências particulares.

Segundo o detalhe divulgado pelo porta-voz do executivo, há registo de 600 casas inundadas, 922 residências totalmente destruídas, 1704 com danos parciais. Há também 91 salas de aula parcialmente destruídas, 14 casas de culto e três unidades sanitárias afectadas e oito postes de energia derrubadas.

“Temos no total um cumulativo de 1650 pessoas afectadas, correspondetes a 3695 famílias nas províncias do Niassa, Nampula, Zambézia, Tete, Manica e cidade do Maputo” disse o porta-voz do CM.

De acordo com os dados, parte das inundações que provocaram os danos, resultaram das descargas na albufeira de Cahora Bassa.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos