O País – A verdade como notícia

Vida ficou mais cara em Abril

Chama-se Abril de 2020, mês de emergência imposta pela COVID-19 e mais caro em relação a Abril de 2019, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). Em termos globais, os preços aumentaram na ordem de 3,32% no mês passado face a igual período de 2019.

Produtos alimentares e bebidas não alcoólicas são os que determinaram a subida generalizada de preços, após a queda registada em Março último na ordem de 3.09% face a mesmo período de 2019, segundo dados recolhidos nas cidades de Maputo, Beira e Nampula.

Quer dizer que, se em Abril de 2019, um cidadão podia comprar um conjunto de bens e serviços, por exemplo, a 6.000 meticais, em Abril de 2020, o cidadão necessitava de cerca de 6.200 meticais, ou seja, mais 200 meticais, para comprar os mesmos bens e serviços.

“No que concerne à inflação homóloga, a cidade de Nampula liderou a tendência de aumento do nível geral de preços com 5,13%, seguida da cidade da Beira com 3,93% e por último a cidade de Maputo com 2,23%”, apontam cálculos do Instituto Nacional de Estatística.

Já de Março para Abril, o custo de vida no país aumentou em cerca de 0,52%. Subida de preços de veículos automóveis ligeiros de segunda mão em cerca de 5,4%, da cebola (15,0%), do óleo alimentar (5,8%), de ovos (12,1%) e do açúcar castanho (7,0%) estiveram em destaque.

“No entanto, alguns produtos com destaque para o tomate (8,2%), a couve (9,9%), o feijão manteiga (5,1%), o camarão fresco (10,0%) e as laranjas (35,5%), contrariaram a tendência de subida”, mostram dados calculados através do Índice de Preços no Consumidor pelo INE.

O Instituto Nacional de Estatística faz saber ainda que a cidade de Nampula foi a mais cara em Abril último, com a subida de preços mensal a rondar em 0,77%, seguindo-se as cidades de Maputo, capital do país e da Beira com inflação de 0,55% e 0,13%, respectivamente.

De Janeiro a Abril deste ano, o país registou uma subida de preços na ordem de 1,75%, onde o destaque vai para o aumento de preços do óleo alimentar, de veículos automóveis ligeiros em segunda mão, do carapau, de capulanas, do amendoim, peixe fresco e do açúcar castanho.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos