O País – A verdade como notícia

Vários autocarros circulam em condições irregulares na EN1

Foto: O País

Vários autocarros interprovinciais, interdistritais e semi-colectivos de passageiros circulam em condições irregulares, na Estrada Nacional Número 1, na Província de Maputo. A Polícia de Trânsito disse, durante uma fiscalização no Posto de Controlo Rodoviário de Nhongonhane, que se trata de negligência por parte dos condutores e a consequência disso são os acidentes de viação que, de algum tempo a esta parte, têm sido frequentes.

A Polícia de Trânsito na Província de Maputo levou a cabo, na manhã desta terça-feira, uma fiscalização aos autocarros que circulam pela estrada que liga o país do sul ao norte, a EN1, tendo constatado irregularidades.

“Verificamos várias irregularidades, com destaque para o excesso de lotação e velocidade, mistura de cargas entre passageiros e bagagens e não apresentavam a listas actualizadas dos passageiros. Estes senhores só reduzem a velocidade quando aproximam-se do nosso posto de controlo e logo depois de passarem voltam a exceder a velocidade. Estes comportamentos devem ser denunciados por todos passageiros”, informou o Porta-voz da Polícia de Trânsito a nível Província de Maputo, Rodrigues Tchabana.

Não é só a velocidade que esteve em causa, mas também outras regras de condução foram ignoradas e não faltaram penalizações. A força que actuava para colocar a ordem naquele local, aplicou multas consoante as infecções cometidas.

Durante a fiscalização, justificações não faltaram por parte dos transportadores. Os semi-colectivos de passageiros se faziam à via pública em alta velocidade e com a lotação fora do normal. O José Manuel é um dos transportadores que caiu nas malhas das autoridades.

“Excedo a lotação para fechar as receitas, o custo de vida está alto e preciso de garantir o pão na mesa para os meus filhos”, afirmou José Manuel, transportador.

A Federação Moçambicana das Associações dos Transportadores Rodoviários, FEMATRO, reprova e condena os condutores que apresentaram às autoridades listas de passageiros não actualizadas.

“Nós como federação condenamos esse comportamento e a Polícia deve sancionar indivíduos que criam estas situações. Pode ocorrer um acidente e não conseguirmos contactar as famílias. Já tivemos várias situações do género,” disse Castigo Nhamane, Presidente da FEMATRO.

Só na Estrada Nacional Número 1, em apenas seis meses, morreram 97 pessoas vítimas de acidentes de viação, sendo os mais memoráveis os da Manhiça, na Província de Maputo, e em Mopeia, na Zambézia.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos