O País – A verdade como notícia

Vânia Vilhete em destaque no Open Internacional de Xadrez

A xadrezista moçambicana Vânia Vilhete foi a vencedora da categoria de femininos no Open Internacional de Xadrez BCI, prova que contou com a presença de sete países da zona Austral de África. Donaldo Paiva, na categoria de masculinos, ficou em terceiro lugar.

Com um total de seis pontos, Vânia Vilhete confirmou o estatuto de melhor xadrezista da actualidade no quadro feminino no país e um dos grandes valores do continente.

Vilhete, vencedora da prova, recebeu como prémio uma medalha, um troféu e trinta mil meticais, numa prova em que Malilo Phera, do Malawi, e Sheila Sitoe, moçambicana, ficaram em segundo e terceiro lugares com direito a 20 e 10 mil meticais, respectivamente.

Esta prova serviu de preparação para a xadrezista moçambicana que irá participar, em Outubro, nas olimpíadas mundiais na Geórgia. “Foi um bom teste, embora tenha sido muito difícil. Nas duas últimas jornadas, acabei consentindo dois empates mas felizmente continuei no pódio. Faz parte do xadrez. Isso é bom e dá-me a indicação de que tenho que treinar mais”, regozijou-se Vilhete.

Falando do nível competitivo da prova, Vilhete disse que “foi muito equilibrado” pese embora o facto de países como a Suazilândia terem começado há pouco tempo a participar em provas do género. “Mesmo assim, tem um bom nível daí que tivemos uma atleta a ocupar o segundo lugar”.

Na categoria de masculinos, Donaldo Paiva foi o melhor moçambicano ao ocupar o terceiro lugar com cinco pontos e meio, valendo-lhe uma medalha, um troféu e 25 mil meticais. A prova teve como vencedor Bwalya Gilman da Zâmbia com seis pontos, os mesmos que Mwale Joseph, do Mali, tendo recebido 60 e 40 mil meticais, respectivamente.

Na categoria de juniores, Marcos Macuácua ficou em primeiro lugar, seguido de Vasco Viageiro, em segundo. Na terceira posição, ficou Roy Mwandzura do Zimbabwe.

Durante o evento, a Federação Moçambicana de Xadrez procedeu a entrega de tabuleiros as associações provinciais da Zambézia e Niassa, material que deve ser capitalizado para área de formação.

À margem do “Open”, realizou-se a assembleia-geral da Federação Moçambicana de Xadrez, encontro no qual foram aprovados os relatórios de actividades e contas do período Março de 2017 a Março de 2018.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos