O País – A verdade como notícia

Valdemiro José é chanceler da plataforma digital da indústria cultural na Zambézia

O músico passará a representar a marca ao nível nacional e internacional para a divulgação e venda da cultura nacional 

 

O músico Valdemiro José passa desde hoje a assumir a posição de chanceler do Mussika, nome que em echuabo significa mercados. Trata-se de uma plataforma digital criada na província da Zambézia pelo centro de estudos para o desenvolvimento da Zambézia. A mesma vai vender e divulgar produtos e marcas. Assim, Valdemiro passa a representar Mussika ao nível nacional e internacional na divulgação da marca enquanto mercado da indústria cultural na província.

“Com o Mussika, os fazedores  da cultura no país passam a ter uma plataforma na qual podem integrar as suas obras, e cada um através de um smartphone ou computador comprar obras dos artistas. No final uma percentagem vai para o Mussika e outra para o músico ou fazedor da cultura”, disse Paulo Bonde, Director do centro de estudos para o desenvolvimento da Zambézia.

Referiu ainda que  na plataforma Mussika está disponível uma categoria designada arte e cultura. Nela os artistas nacionais e internacionais terão uma galeria digital onde “cada um de nós dentro ou fora do país poderá aceder as obras quer de artistas plásticos, músicas, livros e por vias disso pagar e ter acesso na sua casa através de um sistema de entrega já criado”.

Já Valdemiro José, músico e chanceler da plataforma, referiu que assumiu a proposta na visão de que “juntos podemos sair do convencional para o digital, para a tecnologia, para o mundo. Eu vejo Mussika como um mercado que surge na Zambézia para o mundo.

Já o Governador da Zambézia, Pio Matos, destacou o papel que a plataforma pode desempenhar na vida dos músicos e outros artistas da província. “Nós queremos, através da imagem do Valdemiro José, promover, alavancar, queremos que ele sirva daquele ponto onde se nós colocarmos uma alavanca vamos levantar a província da Zambézia, “disse.

Artistas presentes nas cerimónias dizem que Mussika pode ser um mercado de vendas de obras

a ter em conta na vida do artista.

Sabe-se que o Governo, através do Ministério da Cultura e Turismo, disponibilizou dois milhões de meticais para apoiar a abertura daquela plataforma com intuito de promover e colocar na plataforma locais turísticos da província, mas fundamentalmente apoiar os fazedores das artes através da disponibilização de conteúdos no mercado digital, onde os artistas podem tirar vantagens comparativas.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos