O País – A verdade como notícia

USAID investe USD 50 milhões para implementar seis novos projectos na Zambézia

Foto: O País

Vão passar de 16 para 24 os projectos activos a serem financiados e implementados pela Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento (USAID) na província da Zambézia, nos próximos cinco anos. O destaque vai para as áreas da saúde, agricultura, água e saneamento, resiliência à fome crónica e educação primária. Serão aplicados pouco mais de 50 milhões de dólares.

Para o efeito, decorreu, hoje, um encontro de revisão da carteira de projectos financiados pela USAID na Zambézia. A directora do Departamento de Programas da USAID em Moçambique, Kristin Ray, fez saber que a entrada de novas iniciativas na província sai da estratégia quinquenal da organização, aprovada em 2020.

A referida estratégia visa fazer com que o país esteja preparado para o futuro, sendo que a USAID vai contribuir para um Moçambique pacífico, próspero e saudável, onde os cidadãos se beneficiam de maiores investimentos.

“Como podem ver, estes objectivos estão ligados com o programa quinquenal do Governo de Moçambique, o qual enfatiza a qualidade de vida dos moçambicanos, redução da pobreza, desigualdade, criação de emprego e um ambiente de paz e de tranquilidade”, disse a directora do Departamento de Programas, tendo apontado, de seguida, três objectivos da estratégia.

O primeiro é ter moçambicanos mais saudáveis e com melhor educação, com especial enfoque para os jovens vulneráveis. O segundo, que visa o crescimento económico diversificado e inclusivo, abrange a democracia e governação. O terceiro e último é melhor resiliência para as populações vulneráveis aos principais choques, desde desastres naturais, mudanças climáticas, conflitos, terrorismo, até pandemias.

Este terceiro objectivo abrange, ainda, as áreas de segurança alimentar, água e saneamento, recursos naturais, resistência ao conflito e violência extrema, bem como preparação para os desastres naturais.

“Não obstante a similaridade da estratégia com a dos anos anteriores, podemos notar algumas diferenças. A nova estratégia está centrada no Centro e Norte de Moçambique, com ênfase na construção de resiliência a choques e crises que, ao longo dos últimos anos, têm atacado, com mais frequência e severidade, a prosperidade do país. Esta estratégia também inclui maior empenho na igualdade do género e no desenvolvimento positivo da juventude”, referiu Kristian Ray, para quem, além disso, o crescimento económico diversificado e inclusivo baseado no sistema de gestão financeira pública, construído sobre princípios de transparência e responsabilidade, serve como eixo estratégico.

O encontro em referência serviu para o governador Pio Matos solicitar intervenção robusta na reconstrução da província pós-Gombe, para reduzir o sofrimento das famílias afectadas que ainda se ressentem dos efeitos daquela intempérie.

“Queremos manifestar o nosso sentimento de gratidão à USAID, que prontamente disponibilizou recursos e meios para socorrer a população e diminuir o impacto das calamidades. Queremos, ainda, continuar a contar com o apoio cada vez mais robusto das nossas parcerias e cooperação nesta fase de reconstrução pós-ciclone, juntado desafio de reconstrução com o do desenvolvimento”, afirmou o governador da Zambézia.

Sobre o assunto, a directora do Departamento de Programas diz que a USAID está a investir mais de dois  milhões de dólares nas províncias da Zambézia e Nampula, para assistência alimentar e recuperação agrícola. Segundo explicou, em função das necessidades, o financiamento em causa pode crescer.

No encontro de revisão de carteira de projectos financiados pela USAID, estão os quadros do Governo e vários parceiros de cooperação.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos