O País – A verdade como notícia

UniTiva quer tornar-se na maior instituição de ensino superior no país

Volvidos 10 anos da sua criação, a direcção da UniTiva, diz que quer torná-la numa referência de ensino superior no país, na região, até ao nível do continente africano.

O sonho de tornar a UniTiva na maior instituição de ensino superior ao nível do país, região austral, até do continente africano, foi revelado pelo respectivo chanceler, Domingos Tivane, no sábado, durante a feira de saúde organizada por esta universidade privada no âmbito dos dez anos da sua fundação, assinalados no passado mês de Maio.

Depois de uma década, Domingos Tivane, não escondeu a sua satisfação pois segundo ele a instituição registou um crescimento assinalável tendo em conta que abriu com 20 salas de aula, actualmente conta com cerca de 78, uma biblioteca com capacidade de 500 (quinhentas) pessoas, um laboratório de engenharia e um universo de 250 docentes, 25% destes com o nível de PHD.

Tivane disse que quer ver brevemente a sua instituição como sendo a maior e com melhor qualidade de ensino e aprendizagem, mas para tal deve-se primeiro melhorar a qualidade do corpo docente.

“Missão cumprida, mas com isso não queremos dizer que chegamos ao fim, mas estamos satisfeitos porque o balanço que fazemos é positivo. Quando começamos só tínhamos apenas 20 salas de aulas e hoje em dia temos um pouco mais de 78 salas, uma biblioteca enorme e um laboratório de engenharia. A partir dos últimos cinco anos começamos a graduar anualmente uma média de 250 a 300 estudantes de diferentes cursos. Nós queremos ter mais docentes qualificados para garantirem uma melhor qualidade de ensino e queremos ainda ser uma referência no país”, disse o chanceler da UniTiva, Domingos Tivane.

Os desafios não param por aqui, o reitor da UniTiva, Inocente Mutimuculo disse na ocasião que a instituição vai apostar na garantia de aliança entre o processo de ensino, aprendizagem e a pesquisa.

“Muitos problemas existentes nas nossas comunidades tem a ver com fraca aliança entre a pesquisa, pelo que a nossa aposta para os próximos anos é garantia da mesma aliança”- disse o reitor da UniTiva.

Já a directora-geral desta instituição, Gracinda Tivane, falou da expansão do ensino à distância em todo o país, qualidade no ensino para que os seus estudantes tenham acesso ao mercado logo que terminarem os seus cursos.

“O estudante que sai da UniTiva deve realmente ser aqueles que tenham qualidade e que saiba pôr em prática os seus conhecimentos. Outro desafio que temos pela frente tem a ver com o reforço da qualidade de ensino e aprendizagem”.

Num outro desenvolvimento, o presidente da Associação dos Diabéticos de Moçambique, Armindo Tiago, defendeu a prática regular de exercícios físicos como forma de combater a diabetes que não deixa de ser uma preocupação para o país. “Se transformarmos esses hábitos no nosso quotidiano estaremos a contribuir significativamente para diminuir a diabetes no mundo”, concluiu.

A feira de saúde organizada pela UniTiva no âmbito das celebrações dos 10 anos da sua fundação, decorreu sob lema “Dez anos buscando e divulgando Wutive”.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos