O País – A verdade como notícia

UE satisfeita com o avanço dos projectos de recuperação pós-ciclone em Sofala

Uma missão conjunta do Governo de Moçambique, União Europeia e Nações Unidas visitou a província de Sofala, de 14 a 16 de Novembro, para avaliar as actividades no âmbito do Mecanismo de Recuperação Pós-Ciclones, um fundo alimentado por vários parceiros, entre os quais a União Europeia, para implementar projectos de recuperação pós-ciclones de 2019 e criar resiliência contra futuros desastres.

Na ocasião, a União Europeia expressou a sua satisfação com o avanço e os resultados dos projectos em curso, enquadrados em três pilares, nomeadamente, a recuperação dos meios de subsistência e empoderamento económico das mulheres, a reabilitação de infra-estruturas públicas, comunitárias e habitacionais e o fortalecimento das capacidades de acção e resposta do Governo, em particular do Gabinete de Recuperação Pós-Ciclones (GREPOC).

Durante a missão, o embaixador da União Europeia, António Sánchez-Benedito Gaspar, o ministro das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos, João Machatine, e representante do PNUD, Ghulam Sherani, junto às autoridades provinciais de Sofala e distritais da Beira, Dondo e Nhamatanda, visitaram diversos empreendimentos e fizeram a entrega de infra-estruturas públicas, como uma escola secundária na Beira (reconstruída após destruição pelo ciclone Idai); 90 casas construídas de forma resiliente e evolutivas (e entrega dos respectivos títulos (DUAT) aos seus novos proprietários), mercado e escola primária de construção nova no bairro de reassentamento de Mutua; e fiscalização do Mercado de Tica em Nhamatanda, a inaugurar no início do próximo mês de Dezembro 2021.

Esta é a terceira visita de acompanhamento pela União Europeia a projectos de recuperação e testemunho dos resultados e o impacto junto das populações beneficiárias. Em Dondo, o embaixador da União Europeia recordou que a entrega das infra-estruturas representa a terceira fase da resposta da UE, a primeira foi imediata à emergência pós-ciclone, a que se seguiu a fase de apoio ao Processo de Avaliação das Necessidades Pós-Desastre, em linha com os compromissos assumidos em Junho de 2019, na Beira.

O embaixador afirmou que, tendo em vista o objectivo final de reconstruir melhor (Build Back Better), os fundos prometidos pela União Europeia na Conferência Internacional de Doadores, ou seja, os 200 milhões de Euros em subvenções não reembolsáveis e os 100 milhões de Euros em empréstimo concecional pelo Banco Europeu de Investimento, “estão em fase de execução na sua totalidade”. Sublinhou ainda que “como União Europeia, temos o orgulho de testemunhar melhorias na vida da população dos distritos de Sofala como resultado das diferentes intervenções, desde a formação profissional e criação de oportunidades económicas para a geração de renda das famílias, em particular as mulheres, o acesso à água e saneamento melhorados, o reforço dos meios de ensino e aprendizagem fruto da reabilitação de escolas, assim como melhorias no acesso geral aos serviços públicos que deriva de uma maior transparência e articulação entre as autoridades no que toca, essencialmente, à preparação contra desastres futuros”.

No terreno, as acções de recuperação de meios de subsistência e empoderamento económico das mulheres beneficiaram mais de 142 mil famílias beneficiárias, metade das quais lideradas por mulheres, e mais de 200 mulheres formadas em poupança e esquemas de créditos. Concretizou-se a limpeza de canais de drenagem e remoção em massa de resíduos sólidos, incluindo para reciclagem; a reabilitação de mercados, criação de estufas hortícolas, plantio de mais de 210 mil árvores e construção de furos de água; a abertura de 761 km de vias de acesso e produção de 10.400 mil tijolos para construção; a construção de currais para gado bovino e caprino e 46.247 famílias foram formadas em práticas agrícolas e indústria animal. Mais de 8600 latrinas melhoradas foram construídas e estabelecidas 17 mil estações de lavagem de mãos para prevenção da COVID-19. 935 Famílias tiveram formação sobre como criar micro e pequenas empresas informais e outras mais de 500 famílias tiveram formação sobre pequenas actividades profissionalizantes para geração de renda.

Na vertente da reabilitação de infra-estruturas públicas, comunitárias e habitacionais, 155 artesãos e 73 graduados universitários foram formados em técnicas de reconstrução resiliente; oito escolas primárias reconstruídas, beneficiando cerca de nove mil crianças; 32 escritórios públicos reconstruídos, incluindo a reparação de mobiliário e equipamentos danificados nos edifícios da Administração Distrital da Beira e Departamentos de Agricultura, Economia, Infra-estrutura e Educação. Oito blocos de latrinas construídos, 84 bancas de mercado construídas ou melhoradas em benefício de 3573 famílias. Também, 500 novas habitações foram construídas e 600 beneficiaram-se de reabilitação.

Na interacção com as autoridades provinciais e distritais, líderes comunitários e beneficiários, ficou presente o contínuo empenho da União Europeia de trabalho em parceria com o Governo de Moçambique pela recuperação e promoção do desenvolvimento sustentável e resiliente, assim como o apelo para uma maior acção para demonstrar os resultados dos esforços em curso.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos