O País – A verdade como notícia

União Africana avança com 100 mil dólares e treinos militares contra ataques armados

A União Africana (UA) vai disponibilizar cerca de 100 mil dólares para apoiar a população deslocada pelos ataques terroristas na província de Cabo Delgado e promete ajuda em treinos militares às Forças de Defesa e Segurança (FDS).

A informação sobre o apoio em valores monetários e no treinamento dos homens de Defesa e Segurança foi avançada pelo presidente do Subcomité de Refugiados, Deslocados e Assuntos Humanitários e o Comissário dos Assuntos Políticos, Paz e Segurança da União Africana, Andrew Bangali e Bankole Adeoye, respectivamente.

Os representantes da organização pan-africana, reunidos, nesta quarta-feira, com a ministra de Negócios Estrangeiros e Cooperação, Verónica Macamo, disseram que a União Africana não está alheia à situação que a assola a população da província de Cabo Delgado, até porque o terrorismo constitui uma ameaça em todo o continente.

Concretamente, Andrew Bangali, também embaixador de Serra Leoa em Moçambique, apontou a assistência humanitária como uma prioridade, uma vez que as necessidades das pessoas deslocadas aumentam a cada dia.

“A nossa contribuição é no sentido de complementar o trabalho do Governo já em curso. É por isso que as representações do Subcomité de Refugiados, Deslocados e Assuntos Humanitários e dos Assuntos Políticos, Paz e Segurança da União Africana, estão no país para esse feito”, disse Andrew Bangali.

Na província de Cabo Delgado, já há zonas libertadas, como consequência da intervenção das forças estrangeiras que estão a apoiar a debelar a violência armada na região, mas não é o suficiente para cantar vitória.

Perante esse desafio, a União Africana também manifestou a intenção de treinar as FDS e ajudar a debelar os ataques terroristas.

“Estamos aqui para contribuir no treinamento. A ministra falou de acções coordenadas e sustentáveis contra o terrorismo. Como sabemos, as Forças em Estado de Alerta da SADC fazem parte da União Africana, daí a necessidade de a UA apoiar a iniciativa”, referiu-se Bankole Adeoye.

Por sua vez, a ministra de Negócios Estrangeiros e Cooperação, Verónica Macamo, apontou que a ajuda da União Africana chega numa altura oportuna, sobretudo porque Moçambique está a preparar-se para assumir a presidência do Conselho de Paz e Segurança da União Africana, no próximo mês de Outubro.

“Para além da União Africana vir para ver de perto o que se está a passar no terreno, é para nós uma oportunidade de contar com a organização tanto na nossa corrida para presidência no Conselho de Paz e Segurança e também como membro não-permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas”, disse Verónica Macamo.

A missão da União Africana está de visita ao país por cinco dias, período durante o qual vai deslocar-se à província de Cabo Delgado, onde fará a entrega simbólica do seu donativo. Igualmente, poderá manter encontros com os ministros de Defesa e do Interior, Jaime Neto e Amade Miquidade, respectivamente.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos