O País – A verdade como notícia

Ungulani ba ka Khosa debate sobre indústrias culturais em Luanda

Ungulani ba ka Khosa participa, na capital angolana, numa série de reflexões sobre indústrias culturais e criativas no contexto da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). O evento iniciou no dia 29 de Abril e termina quarta-feira.

 

Luanda é, nestes dias, uma espécie de palco central da CPLP na área da cultura. A capital angolana foi a cidade escolhida para se debater temas como indústrias culturais, economias criativas, políticas públicas no contexto da CPLP, direitos de autor e direitos conexos, realidades e desafios para o futuro no contexto da CPLP, estatuto do artista, políticas e estratégias de promoção do livro na era digital, património cultural da CPLP, ciência da informação no contexto actual e promoção da língua portuguesa

Um dos escritores convidados a participar no evento é precisamente Ungulani ba ka Khosa, para quem esta é uma oportunidade que os autores que representam várias literaturas africanas de língua portuguesa têm para reflectir sobre as novas produções nos seus países. “A minha presença, para além  de me alegrar, visa, do meu ponto de vista de responsabilidade moral, chamar a atenção  a existência de autores mais jovens e com estrada de sucesso bem palmilhada na nossa terra. É  preciso acenar, ao nível  dos PALOP e não  só,  a existência  desses escritores já maiúsculos”, disse, Ungulani, esta segunda-feira, a partir de Luanda.

Além do autor de Os sobreviventes da noite, reeditado recentemente pela Cavalo do Mar, na Cidade de Luanda encontram-se tantos outros escritores. Por exemplo, José Luiz Tavares, de Cabo Verde; Amadu Dafé, de Guiné-Bissau; Olinda Beja, de São Tomé e Príncipe; e Luís Costa, de Timor Leste, bem como o Secretário-Geral da UCCLA, Rui Lourido.

Igualmente, encontram-se em Luanda os ministros que superentendem as áreas da Cultura, Turismo e Meio Ambiente. A representar o governo moçambicano, disse Ungulani ba Khosa, está o Vice-Ministro da Cultura e Turismo, Fredson Bacar.

A série de reflexões sobre indústrias culturais e criativas no universo da CPLP é patrocinada pela UCCLA – União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos