O País – A verdade como notícia

UD Songo “quase” campeã

A jornada 27 do Moçambola Zap pode ficar na história para a União Desportiva de Songo, que desta vez, contrariamente ao ano passado, conseguiu o seu maior objectivo, que era vencer e estar mais próximo do título. Na partida de cartaz, os “hidroeléctricos” receberam e venceram o Costa do Sol por duas bolas a uma e estão mais próximos do título, já que passam a ter mais oito pontos que o seu mais directo perseguidor, que ainda assim conta com menos um jogo.

Banda fez o primeiro golo da União Desportiva de Songo, antes de Nélson empatar e dar algum alento aos “canarinhos”. Mas Kambala, quase ao apagar das luzes, desfez o empate e colocou a sua equipa mais próximo do título.

Os “papagaios” de Chiquinho Conde

O final do jogo foi mesmo mais emocionante. Na hora das reacções, Chiquinho Conde referiu-se aos “papagaios” que andam no futebol e “não sabem falar do futebol”. Conde disse ainda ser “difícil ensinar os papagaios a falarem”, mas mais difícil ainda é “ensinar um papagaio velho a falar”. Para o técnico da União Desportiva de Songo a vitória é justa e a sua equipa é líder justo, já que “não temos nenhum jogo em atraso e não precisamos esperar por um jogo em atraso para festejarmos vitórias”, numa alusão ao facto do Costa do Sol ter ainda um jogo a menos.

Em resposta, Nélson Santos disse que a União Desportiva de Songo aproveitou dos erros da sua equipa para marcar os dois golos. Santos disse aos jornalista que “esta de parabéns a UD Songo que é um justo vencedor e um justo campeão”.

Próximo domingo, em caso de vitória dos “hidroeléctricos” em Songo diante do Textáfrica de Chimoio e derrota do Costa do Sol na recepção ao Clube de Chibuto, a turma de Chiquinho Conde festeja, antecipadamente, o título nacional. Mas em caso de vitória dos “canarinhos”, tudo ficará pendente até a penúltima jornada.

Facto mesmo é que a União Desportiva de Songo está mais próximo do título, mas o Costa do Sol mostra-se disponível a lutar até as últimas consequências.

Maxaquene e Chingale em maus lençóis

O Maxaquene, um lugar acima da linha da despromoção, e o Chingale de Tete, primeiro depois da linha d’água, continuam em maus lençóis, depois de perderem nas visitas efectuadas este domingo, ainda mais pelo mesmo resultado de 2-1. Os “tricolores” foram perder em Nacala, diante do Ferroviário local, que assim vai alcançado a sua melhor posição, enquanto os “canarinhos” de Tete perderam em Chimoio, mantendo as suas posições e comprometendo as suas aspirações de manutenção no Moçambola.

A já despromovida Associação Desportiva de Macuácua surpreendeu na deslocação a Nampula, ao vencer por uma bola sem resposta ao Ferroviário local, somando mais três pontos na sua contabilidade.

A Liga Desportiva de Maputo também foi surpreendida em sua casa, diante do Desportivo de Nacala, através de um autogolo de Momed Hagy.

Para já, a excepção do jogo que envolve o Ferroviário da Beira, que vai a segunda mão dos quartos-de-final da liga dos campeões, os jogos passam a ser no mesmo dia e mesma hora, para salvaguarda a verdade desportiva.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos