O País – A verdade como notícia

Ubisse: o “dono” das tabelas

Fotos: BAL

Focar no jogo e pensar no colectivo. Este foi o mote do Ferroviário da Beira na recém-terminada fase de apuramento da zona VI de acesso à Basketball Africa League (BAL), prova na qual terminou em 2º lugar com uma série de 2-1 (duas vitórias e uma derrota). Não só se evidenciaram em termos de colectivo, os da Beira, como também colocaram três dos doze atletas eleitos para disputar esta prova no “top” das estatísticas.

Chegou, impôs o seu físico e ganhou a luta das tabelas! O “power forward”, Helton Ubisse, foi o melhor ressaltador do torneio de apuramento da zona VI de acesso à Basketball Africa League (BAL) com 10.7 “rebounds” por jogo.

Ubisse superou dois jogadores do Cape Town Tigers, nomeadamente Daniel Pieter Prinsloo com média de 10.5 e Bills Dewon Preston Jr com 8.5 ressaltos por jogo.

Em 29:57 minutos na quadra, Helton Ubisse arrancou um duplo-duplo (14 pontos e 16 ressaltos, sendo 12 defensivos e quatro ofensivos) no jogo com o Matero Magics no qual a equipa moçambicana venceu por 81-51.

Na segunda partida, na passada sexta-feira, na qual o Ferroviário da Beira assegurou a presença na elite 16 da Basketball Africa League (BAL), Helton Ubisse “capturou” cinco ressaltos, dos quais três defensivos e dois ofensivos.

Diante do Cape Town Tigers, o internacional basquetebol moçambicano contabilizou 11 ressaltos, sendo seis defensivos e cinco ofensivos em 31:09 minutos na quadra.

Nesta prova, Helton Ubisse totalizou 81 minutos na quadra, apresentando 48.4% nos lançamentos de campo (15 concretizados em 31 tentados), 45.5% na linha de lances livres (5 concretizados em 11 tentados), oito assistências e nove perdas de bola.

 

TIMO E JERMEL ENTRE OS MELHORES CESTINHAS

Jermel Michele Kennedy, canadense de 32 anos, justificou a sua contratação. Rimou, em em Joanesburgo, experiência com mais-valia. Ele que, em três partidas, foi o segundo melhor marcador da prova com média de 18.0 pontos por jogo, seguido de Evans Ganapamo, extremo do Cape Town Tigers com 22. pontos/jogo.

Determinante para à qualificação a “elite 16”, a realizar-se em Novembro, Jermel Michele Kennedy, contabilizou 16 pontos e quatro ressaltos dos quais três defensivos e um defensivo na vitória do Ferroviário da Beira diante do Matero Magics da Zâmbia, por 81-51.

Em 25:17 minutos na quadra, o extremo fraco concretizou oito em dezasseis lançamentos de campo (66.7%), 0 em 2 nos tiros exteriores (0%), quatro assistências e cinco “turnovers”.

A 22 de Outubro, dia em que o Ferroviário da Beira “esmagou” o Roche-Bois Warriors Sports Club das Maurícias (vencendo por 132-36), Jermel Michele Kennedy, marcou novamente 16 pontos aos quais acrescentou seis ressaltos (três defensivos e igual número ofensivos), cinco assistências e sete roubos de bola nos 15:51 minutos em que esteve na quadra!

Para não variar, voltou a estar com boa percentagem ao nível dos lançamentos de campo com 70% de aproveitamento (7 lançamentos concretizados em 10 tentados) e 100% na zona dos 6, 75 metros (2 concretizados em 2 tentados).

No decisivo jogo para definição do 1º classificado, diante dos anfitriões do Cape Town Tigers, Jermel Michele Kennedy liderou os “locomotivas” do Chiveve com 18 pontos e sete ressaltos, mas não evitou a derrota por 86-85.

Na quadra do Soweto Inzibio Hall, em Joanesburgo, o canadense concretizou 9 em 12 lançamentos de campo (75%) e 4 em 5 tiros exteriores (80%).

Em termos globais, Jermel Michele Kennedy teve 70% de aproveitamento nos lançamentos de campo (24 lançamentos concretizados em 34 tentados), 60% nos tiros exteriores (6 lançamentos concretizados em 10 tentados).

Acrescente-se, nos seus “targets”, e muito bons, diga-se, um total de 17 ressaltos (11 defensivos e sete ofensivos), 13 assistências, 9 “turnovers” e 11 roubos de bola.

Ismael “Timo” Nurmamad, extremo, mostrou as credenciais que o fizeram dar o salto da Só Protecção de Quelimane para o Ferroviário da Beira. Ou melhor, de Quelimane para o mundo, neste caso do basquetebol porquanto já espalhou o seu perfume em várias competições africanas.

Timo foi o terceiro melhor marcador da fase de apuramento da zona VI à BAL com média de 16.0 pontos/jogo.

No duelo de estreia, Ismael “Timo” Nurmamad contabilizou 11 pontos e quatro ressaltos e cinco assistências em 26:48 minutos na quadra.

O internacional basquetebolista moçambicano apresentou-se, nesta partida, com os seguintes “targets”: 4 lançamentos concretizados em 14 tentados (28.6%), 3 em 8 nos tiros exteriores (37.5%).

Foi o melhor cestinha na vitória expressiva sobre a fraquinha formação do Roche-Bois Warriors Sports, por 132-36, com 26 pontos em 15:33 minutos na quadra. Timo saiu desta partida com 11 lançamentos concretizados em 16 tentados (68.8%), 3 em 6 na zona dos 6, 75 metros (50%) e 1 em 1 na linha de lances livres (100%).

No derradeiro embate, o número 8 do Ferroviário da Beira contribuiu com 11 pontos e um roubo de bola na derrota com os anfitriões.

Quatro em 7 lançamentos de campo (57.1%) e 3 em 4 na linha de lances livres (75%) são os números de Timo nesta partida.

Feitas as contas, Timo acumulou 48 pontos, seis ressaltos, oito assistências e três perdas de bola em 63 minutos na quadra. Estes foram os seus dados estatísticos: 19 em 37 lançamentos de campo (51.4%), 6 m 15 nos tiros exteriores (40%) e 4 em 5 na linha de lances livres (80%).

 

DOIS “ROOKIES”

Dentro de uma política de valorização da formação, o Ferroviário da Beira levou a Joanesburgo dois “rookies”, ou melhor, estreantes em competições internacionais: Alberto António Senda e Célio Chirombe.

Senda, de 23 anos, apresentou uma média de 2 pontos, 1.5 ressaltos e 3.5 assistências por jogo. O extremo contabilizou 20 minutos (em dois jogos), tendo contabilizado quatro pontos e 1 em 9 nos lançamentos de campo (11.1%), 0 em 3 nos tiros exteriores (0%) e 2 em 2 na linha de lances livres. Há ainda a registar três ressaltos (dois ofensivos e um ofensivo), dois “turnovers” e um roubo de bola.

Mesmo cenário de Célio Chirombe: pouco tempo na quadra. Em 15 minutos (dois jogos), contabilizou oito pontos. As estatísticas acumuladas indicam ainda 50% de aproveitamento nos lançamentos de campo (3 em 6) e 2 em 2 na linha de lances livres (100%).

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos