O País – A verdade como notícia

Tudo ou nada!

Selecção nacional de futebol joga cartada decisiva na qualificação ao CAN dos Camarões, em 2019, este domingo, diante da Zâmbia, em partida da quinta jornada do grupo K. só a vitória interessa aos Mambas.

Sim! É o tudo ou nada para os Mambas! Nada mais interessa no jogo de domingo, para além da vitória. Uma vitória que seria apenas um passo gigante, porque faltaria outro passo, em Bissau, diante da Guiné, em Março próximo. Mas enquanto não damos o segundo, temos que pensar neste primeiro passo. E a “vítima” chama-se Zâmbia.

Uma Zâmbia que vencemos com muito orgulho, na primeira jornada, há mais de um ano, por uma bola sem resposta, com golo marcado já nos minutos finais, por Ratifo, a passe de Telinho. Desta vez não estará Ratifo (que está doente), mas estão outros, casos de Reginaldo, que é um dos melhores marcadores do campeonato da Albânia, Witi, que tem sido uma peça chave no Nacional da Madeira, Telinho, que foi o melhor marcador do Moçambola, Maninho, Luís Miquissone e Domingues, quem muito se espera dele para fazer a diferença e ajudar os Mambas a alcançar os três pontos.

Nas últimas três partidas dos Mambas, nomeadamente diante da Guiné-Bissau (empate 2-2) e Namíbia (derrotas: em casa 1-2 e fora 1-0), os erros defensivos foram fatais para os golos sofridos, principalmente os sofridos em casa, com os Djurtus e com Bravos Guerreiros, respectivamente nos minutos finais, já em tempo de compensação, derivados da desconcentração.

Com uma Zâmbia bastante perigosa quanto frágil, não fosse a última posição que ocupa a esta altura, é preciso ter bastante concentração, não só na defensiva, mas também no ataque, para saber aproveitar os seus erros e não permitir que sejam eles a aproveitarem os nossos erros.

Estatísticas a desfavor dos Mambas

A importância desta partida tem várias interpretações. Para além de ser um jogo em que a vitória abre uma porta para o CAN-2019, os moçambicanos precisam viver a alegria de vencer a Zâmbia em sua casa. Afinal nunca antes aconteceu, em jogos oficiais e seria a “cereja sobre o bolo”, numa altura em que se vive muitos problemas sociais e financeiros do país.

Mas também há que procurar formas de equilibrar as estatísticas. Até esta altura, Moçambique só venceu um jogo, perdeu oito e empatou dois, de um total de 11 partidas realizadas. Os Mambas marcaram apenas quatro golos e sofreram 21. Aliás, em solo pátrio apenas um empate com os Chipolopolo, a dois golos.

Por isso a importância de vencer. Tanto mais que os jogadores vão entrar em campo já conhecendo o resultado do outro jogo, entre Namíbia e Guiné-Bissau, que terá lugar amanhã, no San Nunjoma Stadium.

A equipa de arbitragem vem do Botswana, cujo presidente visitou recentemente o nosso país, e é liderado por Joshua Bondo, auxiliado por Souru Phatsoane e Oamogetse Godisamang.

Os bilhetes continuam a ser vendidos aos preços de 200 e 300 meticais, nomeadamente para as bancadas sol e sobra.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos