O País – A verdade como notícia

Trigésima quarta cimeira da União Africana será virtual

A União Africana decidiu, hoje, que a próxima cimeira, antes prevista para ter lugar em Maputo, já não será presencial, devido à rápida contaminação e propagação do novo Coronavírus no continente. A reunião será no formato virtual.

A decisão foi tomada este sábado, durante uma reunião virtual que juntou chefes de Estado e de Governo da União Africana e presidentes das Comunidades Económicas Regionais, cuja agenda era discutir as modalidades de realização da trigésima quarta cimeira da União Africana.

A delegação moçambicana foi chefiada pelo primeiro-ministro, Carlos Agostinho do Rosário, acompanhado pelo ministro da Saúde, Armindo Tiago; e pelo vice-ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Manuel Gonçalves. Durante a sessão, o Centro Africano de Controlo e Prevenção de Doenças apresentou a situação da COVID-19 no continente. A média de 9infecções, segundo a informação tornada pública no evento, chega a 36 mil casos diários e pouco mais de 20 mil óbitos.

Perante esta realidade, Moçambique tomou uma posição sobre como deve ser realizada a trigésima quarta cimeira da União Africana, prevista para os dias 6 e 7 de Fevereiro próximo.

“Face a este cenário preocupante, reiteramos a nossa opinião em torno da necessidade de equacionarmos a realização da próxima cimeira da União Africana no formato virtual, como primeira opção e com uma agenda que se cinja nos aspectos cruciais da nossa organização”, opinou o Primeiro-ministro, Carlos Agostinho do Rosário, acrescentando que, em relação à eleição dos membros da comissão africana, “se houver algum conforto por parte dos restantes integrantes, poder-se-á proceder com a votação à distância, ou seja, online”.

Volvidos alguns minutos de concertação à porta-fechada, os participantes da cerimónia chegaram a um consenso. “Tendo em conta o nível de contaminação pelo novo Coronavírus aqui em África decidiu se que 34ª cimeira seria de forma virtual”, revelou Manuel Gonçalves, vice-ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação.

Um dos objectivos do evento é eleger o Presidente e Vice-presidente da Comissão Africana assim como os seis comissários que compõem a liderança do órgão, mas o novo Coronavírus também vai merecer a atenção.

“Tendo em conta a actual situação, vai se fazer análise para vermos como é que África pode enfrentar esse desafio”, indicou Manual Gonçalves.

E na perseguição desse desafio, o vice-ministro dos Negócios Estrageiros e Cooperação diz que o continente está na mesma rota que os outros países que é de perseguir a vacina, mas “primeiro vamos reduzir os níveis de contaminação e a seguir entramos no movimento de aquisição de vacinas”.
Moçambique participou desta sessão na qualidade de presidente da Comunidade Económica Regional, SADC.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos