O País – A verdade como notícia

Três crianças morrem num incêndio em Zavala

Um homem é acusado de atear fogo na casa da cunhada, o que resultou na morte de três crianças, carbonizadas, no distrito de Zavala, província de Inhambane. A mulher, mãe de uma das vítimas e avó de outras duas, ficou ferida. Ela contou ao “O País” que a discussão com o presumível homicida, ora preso, dura desde 2015.

É mais um caso de suposta feitiçaria que termina em tragédia. O enredo envolve membros da mesma família e as três crianças morreram enquanto dormia.

Cacilda Bande alegou que, desde 2015, o cunhado não gosta dela e não quer vê-la na sua casa. Entretanto, além de estar próxima do cunhado, Cacilda depende do fontenário de água construído em casa do seu cunhado.

Nas últimas duas semanas, a situação agravou-se e a mulher passou a dormir num quarto diferente, por temer que fosse atacada à noite. Nem isso foi suficiente para evitar o pior. A senhora abandou o quarto onde dormia para passar a noite com mais seis crianças numa palhota.

Nesse dia, para o arrepio de todos, dois indivíduos dirigiram-se à habitação de mulher, à calada da noite, com combustível e “atearam fogo na palhota”.

Cacilda narrou que quando despertou, a porta e o tecto já estavam em chamas. Contudo conseguiu salvar uma criança e a outra escapou por conta própria.

Como o fogo já era intenso, a senhora correu para outro canto da casa no sentido de salvar mais uma criança. O fogo intensificava-se e a mulher não teve mais forças para salvar as outras três crianças que acabaram morrendo carbonizadas.

Foi nessa palhota que terminou a curta história de vida de três crianças que, como se diz na gíria popular: “estavam no lugar errado e na hora errada”.

Trata-se do filho de Cacilda, de nove anos de idade, mais dois netos de sete e oito anos, que pagaram com a vida pela alegada “fúria do tio”, segundo contou Cacilda.

Apesar de ter saído com vida, Cacilda ficou ferida e foi socorrida para o Hospital Distrital de Quissico. Mais do que as dores dos ferimentos, ela tem de lidar, agora, com a dor da perda do filho e dos netos.

Pedro Tomás é actual marido da vítima e acompanhou de perto a desavença entre a sua esposa e o cunhado (irmão do marido já falecido). Ele contou que apurou, junto de outros familiares, que o cunhado mandou duas pessoas para matarem a esposa e, como pagamento, cada um dos executores do plano ia receber três cabeças de gado. Mas como mataram apenas as crianças, “eles receberam duas cabeças como pagamento”.

O indivíduo ora acusado foi detido na última quarta-feira e encaminhado ao Estabelecimento Penitenciário de Inharrime, em Inhambane.

O Serviço Nacional de Investigação Criminal (SERNIC) diz que nos próximos dias haverá novas detenções de pessoas supostamente envolvidas no caso, segundo Alcéres Cuamba, da mesma instituição.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos