O País – A verdade como notícia

“Touros” são campeões virtuais da primeira volta

A Black Bulls é virtual campeã da primeira volta do Moçambola 2021 mesmo faltando uma jornada para o término da primeira metade da prova. O empate diante do directo perseguidor, Ferroviário da Beira, contribuiu. Já o Matchedje de Mocuba alcançou a primeira vitória na prova às custas do Ferroviário de Maputo.

No embate mais importante da 12ª jornada do Moçambola 2021, a penúltima da primeira volta, os “touros” foram a Chiveve roubar dois pontos aos “locomotivas”, e na sequência tiveram três conquistas: mantem a invencibilidade na competição, conquistam o campeonato de inverno, de forma virtual, e é a única equipa com mais de 20 golos apontados.

Na sua estreia na maior competição futebolística do país, a Associação Black Bulls tem estado a fazer um campeonato invejável e, para além de estar invencível, ao cabo de 12 jornadas, consentiu apenas três empates, com os colossos do futebol moçambicano, nomeadamente Ferroviário de Maputo, Costa do Sol, e agora, Ferroviário da Beira.

O nulo coloca a equipa de Hélder Duarte na liderança isolada, agora com 30 pontos, deixando para trás o seu adversário deste domingo, e directo perseguidor, Ferroviário da Beira, a 4 pontos, garantindo a conquista do campeonato de inverno, ou seja, da primeira volta, do Moçambola 2021.

Os “locomotivas” do Chiveve também garantiram a segunda posição da primeira volta, já que somam, actualmente, 26 pontos, mais quatro que a dupla Ferroviário de Maputo e União Desportiva de Songo, que contabilizam 22 pontos cada uma delas.

 

MAIS DOIS EMPATES NA JORNADA

Na jornada 12 ouve ainda registo de dois empates, um deles na outra partida mais importante, que envolveu o Costa do Sol e a Liga Desportiva de Maputo. Desta vez o voo do canário foi desligado e nem o Comboio do Artur conseguiu sair da estação.

Um nulo que castiga a turma “canarinha”, que teve muitas oportunidades de marcar, mas deixou que o empate se verificasse até ao final da partida.

Aliás, se para o Costa do Sol este empate tem sabor de derrota, para a Liga Desportiva de Maputo tem, de certeza, sabor de vitória, já que não foi ultrapassada pelo seu adversário na tabela classificativa, somando cada um 16 pontos.

Já no “canavial” de Xinavane houve lamentos quando a “locomotiva” de Nacala chegou e roubou todo açúcar, numa altura em que se esperava pela água quente para o chá. É que Tiago abriu o marcador para os “açucareiros” aos sete minutos, mas o Incomáti acabou cedendo o empate faltando sete minutos para o fim, permitindo golo de Artur, de grande penalidade.

 

“MILITARES” ABATEM “LOCOMOTIVA” DA CAPITAL

Em Quelimane houve festa. Sim, porque o Matchedje alcançou a sua primeira vitória na competição, às custas do Ferroviário de Maputo.

Os “militares” serviram um bom prato na “locomotiva”, mas Limão acabou azedando e marcou o único golo aos 75 minutos.

Uma vitória que, ainda assim, não tira o Matchedje de Mocuba da última posição, embora tenha alcançado já o Textáfrica de Chimoio, cada uma delas com sete pontos na tabela classificativa.

Ao Ferroviário de Maputo a derrota acabou por comprometer as aspirações para esta ponta final da primeira volta, uma vez que não conseguiu aproximar-se da frente da tabela e ainda deixou-se alcançar pelos “hidroeléctricos” de Songo, na terceira posição, com 22 pontos, ficando a oito pontos da liderança.

 

MAIS TRÊS JOGOS COM VITÓRIA À TANGENTE

As restantes partidas desta jornada terminaram com vitórias à tangente, nomeadamente em Vilankulo, Nampula e Lichinga.

Na capital de Niassa a festa continua, pela quinta vez consecutiva. Os “locomotivas” de Lichinga conquistaram a quinta vitória consecutiva em casa, ou seja, apenas perderam no primeiro jogo caseiro diante do Ferroviário da Beira. De lá para cá, apenas vitórias e nesta jornada a vítima foi o Textáfrica.

Mesmo com Artur Semedo a assistir ao jogo da sua nova equipa, os “fabris” do planalto vergaram e mostraram que há muito trabalho a ser feito pelo treinador, a começar pela “recauchutagem”, para permitir que a equipa comece a carburar como deve ser.

O Ferroviário de Lichinga, por seu turno, vai fazendo o seu campeonato e tem estado a ultrapassar os chamados grandes do futebol moçambicano, casos da Liga Desportiva de Maputo, Costa do Sol e Ferroviário de Nampula, estando acima deles na tabela classificativa.

Em Nampula e em Vilankulo as vitórias tangenciais foram para os forasteiros.

O Ferroviário de Nampula continua a não conseguir sair da zona perigosa e acabou mesmo por ser enviado à zona da despromoção pelo homónimo de Nacala e pelo Desportivo Maputo, que venceram os seus jogos.

Aliás, os “alvi-negros” foram mesmo a Nampula e venceram graças ao golo de Orlando, aos 81 minutos, enquanto em Vilankulo foi Maxwell a dar vitória e algum alento a União Desportiva de Songo.

Os “hidroeléctricos”, mesmo não contando ainda com o treinador sérvio, Sérgio, garantiu uma importante vitória, perante uma Associação Desportiva de Vilankulo que parece estar em crise de resultados, não conhecendo o sabor da vitória há sete jogos.

A jornada produziu apenas seis golos.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos