O País – A verdade como notícia

Todos olhos em Joanesburgo!

O Ferroviário da Beira defronta, esta quinta-feira, às 13h30, o Ulinzi Warriors da Quénia em desafio da 2ª jornada do Grupo H2 da Divisão Este de Apuramento a Basketball Africa League (BAL), prova que decorre em Joanesburgo, África do Sul.

Ultrapassado, com sucesso e tons de passeio na quadra do Wembley Stadium, em Joanesburgo, África do Sul, o primeiro obstáculo que dava pelo nome de Cobra Sport (adversário que venceu por 76-36), o Ferroviário da Beira tem esta quinta-feira mais missão na qual pode dar o salto para se colocar numa das três primeiras posições da Divisão Este que dão acesso à Elite 12 da Basketball Africa League.

O adversário é o Ulinzi Warriors, conjunto adstrito as Forças de Defesa do Quénia e que conquistou duas edições da “KBF Premier League”, principal prova de basquetebol daquele país.

No seu palmarés, o Ulinzi Warriors conta com dois títulos conquistados em 2015 e 2019, sendo que há dois anos deixou para trás a concorrência do KPA (açambarcou o título em 2014, 2016, 2017 e 2018), Nairobi City Thunder, Equity Bank, Emyba, Strathmore, Eldonets, Lakerside, KCA U, Umoja, USIU Tigers e World Hope.

Em 2014, em pleno Nyayo National Stadium Gymnasium, o Unlizi Warriors perdeu na final da liga de basquetebol do Quénia diante do KPA por 3-1, num “play-off” a melhor de cinco jogos.

Os vencedores da KBF Premier League, que fizeram a sua estreia no torneio, perderam com o New Star, campeão do Burundi, por 80-74, na segunda jornada do Grupo D nas eliminatórias da Divisão Leste, realizadas em Outubro, em Dar Es Salam, Tanzânia.

Landry Ndikumana, duas vezes jogador mais valioso da Zona 5, esteve muito perto de um duplo-duplo nesta partida ao contabilizar 21 pontos e nove ressaltos em 27:24 minutos na quadra. Os 19 pontos e quatro ressaltos de Victor Maisiba Bosire, em 38:10 minutos na quadra, não foram suficientes para evitar a derrota dos quenianos.

Diante do Cobra Sport, outro adversário do Ferroviário da Beira no Grupo H2 da Divisão Este, o Ulinzi Warriors já conseguiu uma vitória por seis pontos (53-47), resultado que permitiu a qualificação para a elite 16, na África do Sul.

Na liga local, nas vésperas da derradeira fase de qualificação, os “soldados”’- como também são designados- perderam com o Nairobi City Thunder (56-51) e, depois, derrotaram a Autoridade Portuária do Quénia (KPA) por 65-55.

“Intensificamos o treinamento e optamos por treinos bidiários na última fase da nossa preparação para a prova. Fizemos alguns jogos no campeonato e vamos usá-los como parte dos nossos preparativos para o BAL”, disse William Balozi, “coach” do Ulinzi Warriors.

Seja como for, Luiz Hernandes tem a sua armada montada para cumprir o objectivo central: marcar presença na 2ª edição da Basketball Africa League (BAL) e, efeito-causa, encaixar alguns milhões.

O terceiro classificado da última edição da Liga Moçambicana de Basquetebol Mozal tem, aliás, a receita para voltar a vencer: agressividade defensiva, clarividência ofensiva, elevado nível de concentração e maior aproveitamento quer nos lançamentos de campo quer na linha dos lances livres e 6, 75 metros.

A margem folgada (30 pontos) com a qual “destruiu” o Cobra Sport do Sudão, na estreia, deu para girar a equipa (Alberto António Senda foi o único jogador a não contabilizar minutos na quadra),  descansar os jogadores com mais minutos na quadra e ensaiar outras situações de jogo. Enfim, um ritmo de treino para quem partiu para estas eliminatórias, uma vez mais, sem ritmo competitivo desejável.

 

OS NÚMEROS DA ESTREIA

Augusto leitor, sem dúvidas, o 1º e 2º quartos do jogo com o Cobra Sport do Sudão denunciavam ou mesmo prenunciavam um grau elevado de dificuldades para o Ferroviário da Beira. Pois é: foram equilibrados, com o Ferroviário da Beira a controlar o primeiro com parcial de 20-14, e os sudaneses o segundo com cinco pontos de vantagem: 20-15. No terceiro e quarto quartos, a equipa moçambicana agigantou-se e deixou patente as diferenças de qualidade de plantéis.

Os “targets”, esses, indicavam 30 em 64 nos lançamentos de campo (46.88%), 9 em 14 na linha de lances livres e 7 em 21 nos tiros exteriores (33.33%).

O Ferroviário da Beira teve ainda um registo de 40 ressaltos (31 defensivos e nove ofensivos), 10 “turnovers” e 26 assistências. Com mais minutos na quadra (35:52), Jermel Michele Kennedy contabilizou sete pontos e nove ressaltos. O melhor cestinha foi Helton Ubisse com 17 pontos aos quais acrescentou cinco ressaltos (três defensivos e dois ofensivos) em 30:56 minutos na quadra.

Ubisse foi secundado pelo base norte-americano William Kiah Perry que, em 28:49 minutos na quadra, contabilizou 16 pontos.

O conjunto verde-e-branco contabilizou 12 pontos em situações de perdas de bola contra nove dos sudaneses. Em situações de segundas bolas, esteve ligeiramente melhor o Cobra Sport do Sudão com 13 pontos contra seis do Ferroviário da Beira.

 

ALVARO MASA DESTRÓI CAPE TOWN

Bem conhecido no basquetebol moçambicano, não fosse ele MVP (jogador mais valioso) da Liga Moçambicana de Basquetebol Mozal em 2018 (prova disputada entre Maputo e Beira) e 2019 (realizada nos pavilhões do Maxaquene e Eduardo Mondlane), Alvaro Masa reforçou o New Star do Burundi, conjunto integrado no Grupo H1, Divisão Leste.

Masa contribuiu com 25 pontos e seis ressaltos (cinco defensivos e um ofensivo) e três assistências na vitória do New Star do Burundi diante do Cape Town Tigers da África do Sul, por 83-71.

Em 38:10 minutos na quadra, Alvaro Masa concretizou 10 em 23 lançamentos de campo (43.5%) e 5 em 11 tiros exteriores (45.5%).

O extremo espanhol Masa e o armador Guibert Jimbelê, este último que contabilizou 14 pontos, lideram os burundienses a um parcial de 6-0 logo no primeiro quarto com dois tiros exteriores certeiros.

A experiência de Masa e Gasana, que disputaram a primeira edição da Basketball Africa League (BAL), em Kigali, Ruanda, foi determinante para a vitória do New Star.

“Eu não conhecia muito bem a equipa quando me juntei aos meus colegas, mas devo dizer que eles amam o basquetebol no Burundi. Foi um grande esforço. Demos um grande passo em direcção à qualificação para o BAL”, disse Masa.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos