O País – A verdade como notícia

Testagem comunitária em Nampula mostra o quão virulenta é a Ómicron

Foto: O País

Já está em funcionamento o Centro de Testagem Comunitária da COVID-19 na cidade de Nampula. No primeiro dia, esta quinta-feira, a cada 100 testados, 40 saíam com o resultado positivo à doença.

O chamado jardim-parque, no centro da cidade de Nampula, é o primeiro ponto de testagem comunitária da COVID-19, que entrou em funcionamento esta quinta-feira. No primeiro dia, houve afluência considerável e muitos que foram ao local tinham sintomas sugestivos à COVID-19.

“Senti-me mal durante a noite, então [vim porque] sabia que aqui, no parque, havia um posto de testagem”, descreveu João do Rosário, quase o mesmo testemunho de David Albazino, que só varia pelos sintomas. “Estou com irritação na garganta e febre”.

Alzira Giral tomou conhecimento pelas redes sociais e logo cedo dirigiu-se ao local para a testagem da COVID-19, depois de cinco dias incomodada. “Estou a sentir irritação na garganta há uns cinco dias”.

Outros utentes foram conhecer o seu estado de saúde depois de terem estado em contacto com pessoas que testaram positivo para a COVID-19. É o caso de Suraiza Amade que levou o filho para ambos serem testados.

“Fizemos o teste os dois, porque tivemos contacto com pessoas que testaram positivo. Então, para confirmar, como tenho um bebé, viemos fazer o teste”, explicou Suraiza Amade.

O tempo de espera é de aproximadamente 15 minutos para saber o resultado. O reforço é de mais de 57 mil testes rápidos que Nampula recebeu. O lote chegou no momento oportuno e pode trazer à tona a realidade de uma pandemia/endemia que circula muito para além da nossa imaginação.

Prova disso é que a cada 100 testados, neste primeiro dia, 40 saíam com o resultado positivo. Madalena Gabriel, médica da Clínica-Geral, é uma das responsáveis do centro de testagem comunitária em alusão e fez menção a números que sustentam que a variante Ómicron é, de facto, muito virulenta.

“Já temos mais de 200 pessoas testadas e mais de 40% estão infectadas pela COVID-19. Isto nos remete, mais uma vez, à necessidade de mantermos as medidas de prevenção”, aconselhou Madalena Gabriel.

E os pacientes positivos não precisam de realizar outro teste laboratorial e muito menos ir à unidade sanitária. “Temos um clínico aqui connosco que trabalha com os casos da COVID-19 que dá as recomendações farmacológicas para o paciente dirigir-se a uma farmácia para adquirir os medicamentos, se for necessário. Se não, são as medidas preventivas gerais para continuar com o isolamento domiciliar”.

O centro de testagem comunitária passa a funcionar de segunda a sexta-feira, das 08h00 às 16 horas.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos