O País – A verdade como notícia

Terceiro álbum de Filipe Nhassavele apresentado em Maputo

Filipe Nhassavele apresentou o seu terceiro álbum a solo na cidade de Maputo. O disco duplo é composto por 27 títulos.

 

No ano que celebra 35 de carreira artística, Filipe Nhassavele lançou, na cidade de Maputo, o seu terceiro álbum a solo. No Beergarden, o músico levou ao público, numa curta sessão ao vivo, músicas de outros tempos e inéditas como forma de promover o disco constituído por 27 títulos.

A sessão de lançamento aconteceu esta terça-feira à noite. Durante o evento, o músico juntou amigos e apreciadores da sua música, ora tocando, ora conversando sobre o seu processo criativo.

Ao novo trabalho, o artista deu o título de Hits de Filipe Nhassavele 614. Os números dizem alguma coisa, como é óbvio: 6 representa a sexta letra do alfabeto (F) e 14 a décima quarta letra (N). E assim ficou o “baptismo” de um disco duplo composto por 27 músicas.

No álbum, segundo disse o artista, reúne ritmos, sentimentos e emoções. Mais ou menos um terço das músicas são inéditas. Na ficha técnica consta nomes de artistas como Zé Pires, Pilecas, Salvador Magaia e Manuel de Jesus.

Entre as músicas que constituem o disco encontram-se “Radinha”, “A guwa”, “Salthana”, “Xabuba”, “Milayo”, “Amarrumi”, “Está na moda”, “Estaporra” e “Óleo”.

Filipe Nhassavele nasceu em Panda, Inhambane, e começou a cantar ainda novo, aos 16 anos de idade. Pertence a uma família de quatro irmãos músicos, além dele, Zacarias, Benjamim e Tomás. O artista não só toca e canta, também exerce a docência. É professor de música (timbila e bandolim), na Escola de Comunicação e Artes (ECA) da Universidade Eduardo Mondlane.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos