O País – A verdade como notícia

Técnicos formados em matérias de hidrocarbonetos em França

O Governo quer mais moçambicanos envolvidos na exploração de hidrocarbonetos. A vontade é manifestada quando o país caminha a longos passos para o início, em 2023, da implementação dos projectos de exploração de hidrocarbonetos da Bacia do Rovuma.

Para o efeito, o Executivo assinou, hoje, um memorando de entendimento com a França, à luz do qual mais de 20 técnicos vão frequentar cursos de mestrado na área de hidrocarbonetos na França a título de bolseiros do Estado francês.

Ao todo, as bolsas vão custar 700 mil euros a serem desembolsados pela Agência Francesa de Desenvolvimento.

O embaixador francês, Bruno Clerc, destacou as fortes relações de cooperação entre os dois países, tendo recordado que estas bolsas enquadram-se num programa de bolsas de estudo acordados entre os dois países.

Para Clerc, “o presente programa de bolsas de estudo testemunha o carácter excelente da nossa colaboração e, igualmente, o resultado duma estreita colaboração com os diferentes intervenientes franceses do sector de formação”.

Já o ministro dos Recursos Minerais e Energia, Max Tonela, mostrou-se animado com esta assinatura, que para ele, é mais um passo para que mais moçambicanos tenham conhecimento relativo à exploração de hidrocarbonetos, o que vai ser necessário na fase de implementação dos projectos da Bacia do Rovuma.

E mais, Tonela diz que este não é o início da formação de quadros nestas matérias, sendo que o Governo já fez outros investimentos na formação, por isso afirmou que este memorando “vem complementar os esforços que o país vem realizando através de formação em vários países e vem decorrendo já há vários anos”. Fruto destas formações noutros países, Max Tonela fez saber que já há mais de 150 moçambicanos com formação média e superior na área de hidrocarbonetos, sendo que neste momento “temos fora do país 107 técnicos em formação” e continuam programas para o envio de  mais moçambicanos para se capacitarem e ajudarem a responder ao desafio de mais conhecimento nesta área.  Além dos técnicos do Instituo Nacional de Petróleos e da Empresa Nacional de Hidrocarbonetos, o grupo de bolseiros que vão à França inclui dois docentes da Faculdade de Engenharia da Universidade Eduardo Mondlane que vão fazer doutoramento.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos