O culpado é sempre o outro

Na nossa sociedade, de entre as boas e más práticas, há uma que eu considero constituir um grande entrave ao desenvolvimento individual e colectivo. É o hábito da culpabilização do outro ante os insucessos, sejam eles decorrentes de doenças, de desaires amorosos, de emprego, enfim, da vida. Julgo eu que este fenómeno pode estar intimamente […]