COVID-19: “se for para viver a respirar desta maneira asfixiante, vale a pena morrer”

Chama-se Noé Massango, director do Departamento de Medicina no Hospital Central de Quelimane, na Zambézia. De 48 anos de idade, é o único médico internista moçambicano, que trabalha na Zambézia, desde 2014. Sentiu os primeiros sintomas da COVID-19 no dia 22 de Janeiro quando dava formação sobre o manejo de caso da pandemia do novo coronavírus, […]