Ao Guilherme Afonso, “todos precisamos de qualquer jogo”*

Comboio navio avião Há sempre um que nos deixa quando devíamos partir Há sempre um que nos leva quando devíamos ficar Guilherme Afonso   No dia em que a cidade de Maputo comemora 133 anos de existência, lembro-me de Guilherme Afonso: poeta, escritor e amante do cinema. Se estivesse vivo, hoje completaria 91 anos de […]