Entretanto Vão Tão…

Por: Belchior Eduardo   Ninguém soube ao certo o que era aquilo. O bairro todo ficou atónito sem nada puder fazer. A pessoa na qual fora chamar o secretário ficou mais de meia hora e 15 minutos ainda lá. Eu desesperado não sabia o que fazer, casa rodeada e sem se saber como agir diante […]

Cheetah, a última corrida

Por: José Paulo Pinto Lobo   Cheetah trepou para o topo do morro de muchém. Olhou ansiosamente os tandos que a circundavam em busca do mais leve movimento. Nada agitava o capim. Nem sequer o vento. Para onde tinham ido as manadas de búfalos, das impalas, dos gnus? Cogitou o estranho sumiço dos antílopes, javalis […]

A morte apaixonou-se por aquela família

Por: Edna Matavel   Tudo começou quando o cadáver do mordomo foi enterrado ao redor da casa (dlhekene). O que a família não sabia é que a sua paz também estava sendo enterrada. Os mortos reclamam, os mortos têm desejos, e, quando eles decidem, nem mesmo os grandes maziones têm poder sobre eles. Os nossos […]

Do pugilista Pablo Sam e das alucinações pós-traumáticas…

O corpo do defunto Bigwana poderia sugerir, para quem o visse passar, que ele era um indivíduo associado ao pugilismo. Isto é, aquele físico era o mais apropriado, o melhor talhado para aquele género de modalidade desportiva. Alto, espadaúdo, com os braços longos e musculosos, e umas queixadas taurinas outra coisa não poderia ser senão […]

Boladas de cá III

Por: Ricardo Mutita   Não precisou de mais avalanches para ver o seu dia afundado. Aquela ligação do agente do SERVINCER já lhe era suficiente. Pensava, Djampirito, que o caso estivesse encerrado, mas enganou-se. Até que, antes disto, passou-lhe pela cabeça a ideia de imitar o profeta Abrão: sacrificar o seu primogénito. Isto, para ele, […]

12 milhões de dólares

Por: Belchior Eduardo   – Alguém ajude-me aqui, o computador desligou-se. Suplicou Zezinho com uma voz ensurdecedora. – Tire-o da tomada e volte a colocar e faz um restart. Uma voz o respondeu. Tendo feito, Zezinho estava nervoso, empolgado e revestido de ansiedade para uma mudança de vida repentina. Suava, reparava os cantos e, frequentemente, […]

Boladas de cá II*

Por: Ricardo Mutita   Eram por aí 7 horas, quando Hantsa passava por um posto de controlo de trânsito, em direcção àquela região sul da província de Cabo Delgado. Lá encontrava-se o seu tio, Djampirito, a trabalhar na função pública. Uma velha viatura de pele desidratada, rugosa, seminua, com todas as artérias desconectadas do seu […]

Faróis da Lucrécia II*

A informação da iminente entrada do senhor comandante Bujão à esquadra espalhou-se como uma onda de choque de uma poderosa explosão, e levou os efectivos dos dois turnos a uma rápida concentração no pátio em filas bem alinhadas. A Lucrécia II entrou no mesmo pátio, bem devagarinho, fez manobras até que se posicionou de frente […]

O nosso maior valor é a morte!

Por: Enoque Daniel   O dia nasceu com pé esquerdo para mim. Acordei com umas fortes dores de cabeça, barriga, enfim, todo o meu corpo estava a doer. Num pequeno diálogo com a minha mente, cheguei a prever um total apocalipse da minha vida. Fiquei deitado na cama, por cerca de uma hora, na expectativa […]

Faróis da Lucrécia II*

Por: Nito Ivo   Próximo ao período da troca de turnos, aí pelas seis horas e meia da manhã de um verão severo, cuja noite havia sido abominavelmente escaldante, entediante e encharcada de mosquitos assaz nervosos e insaciáveis de sangue, todos os compartimentos da esquadra policial do bairro foram gradualmente sendo inundados por uma onda […]