Mudam-se os tempos, pervertem-se as vontades…

Por: Valério Maúnde   É sexta-feira. O bairro de Bagamoyo, popular por possuir um apreciável acervo de mulheres esbeltas, mas calculistas (marandzas), é agraciado com o anúncio da actuação de um afamado cantor no bar mais badalado da zona. A gosto ou a contragosto dos moradores, cartazes promocionais foram afixados nos muros e postes da […]

Mundo de vidro!

Por: Anselmo Dinis   É muito lindo ter alguém especial! É lindo, ainda mais, ter alguém para amar e nos amar, aliás, com quem dividir o mar. Mas, afinal, o que é amar para os dias que passam? Nem mesmo eu sei, mas posso tentar explicar: amar é não falhar, não cometer erros, é caminhar […]

A morte por companhia

Por: José Paulo Pinto Lobo   Estranham o título? De facto, quer a morte quer os mortos não são má companhia. Eu sou a prova atestada disso, em história que vos contarei em seguida. A morte é uma constante da vida. Desde que nascemos caminhamos no sentido do inevitável fim. Terreno, pelo menos. A este […]

“A longa viagem começa por um passo”, recriemos

Inicio o meu quarto ano de uma escrita a que não estava habituada, a crónica jornalística. Nos primeiros três anos escrevi sobre a interculturalidade. Falei sobre o modo como podemos, por hipótese, colocar as culturas moçambicanas e portuguesa a dialogarem. Noutras vezes, inclui a cultura judaica, no diálogo com essas culturas. De um modo geral, […]

O poder da música

Por: Arsénia Ressique Amade   Arrumar o quarto para organizar a vida é o nome de uma das minhas playlist`s, título bem descritivo este, a razão pela qual essa minha lista de músicas composta pelas músicas mais tristes e deprimentes do mundo, como “need some sleep”, chamar-se assim é bem simples. Sinto que a minha […]

O apagão

A vovó Zita vive num dos bairros suburbanos da cidade de Maputo. É uma viúva de 60 anos. A idosa vive com os seus dois netinhos, o Carlitos e o Paulo, gémeos com apenas 10 anos de idade. Os meninos perderam os seus pais ainda bebés. Após a morte misteriosa dos pais dos meninos, a […]

Da praga de insectos e dos odores nauseabundos pós-carnaval…

Da praga de insectos e dos odores nauseabundos pós-carnaval…   Dizem os que sabem que “depois da bonança vem a tempestade”. Ou é ao contrário? Bom, se não for aquele o adágio correcto, reais foram os eventos que se seguiram às efusivas celebrações do carnaval. Os organizadores daquele evento tinham alguma dificuldade em recordar-se do […]

O banco e o crédito da calamidade

Por: Francisco Raposo   Mandiega estava sentado em sua residência, quando o secretário passou por todas artérias do bairro da Malata a convocar de forma ligeiramente obrigatória a presença de todos para a cerimónia de inauguração do primeiro e novo banco de dinheiro do distrito. – O senhor camarada, representante governamental do senhor camarada presidente […]

Prole desprovida de amor paterno

Por: Edna Matavel          Me pairam as lembranças, dos tempos em que o dia não passava, queríamos que a noite fosse eterna, para diante da figueira ouvir as histórias dos nossos avôs e a sua persistência na luta pela sobrevivência diante da pobreza. Lembro-me como se fosse ontem, quando eu juntamente com […]