O País – A verdade como notícia

Suzy Bila dialoga com a obra de Paulina Chiziane em Itália 

Foto: O País

“É na interação entre os pensamentos de uma pessoa e de um contexto sociocultural que nos construímos e criamos novas formas de entendimento, tornando ‘coisas simples’ ou momentos em fenómenos sistêmicos e não individuais”. É com este pensamento que Suzy Bila vai pintar uma tela inspirada em Balada de amor ao vento, de Paulina Chiziane. A pintura será exposta e leiloada em Itália, no dia 27 deste mês.

A 8 de Março de 2011, a investigadora Italiana Cristina Gemmino esteve em Moçambique a entrevistar Paulina Chiziane e Mia Couto, no contexto do seu Doutoramento. Nessa altura indicada por Matteo Ângius, a seguir, procurou entrevistar Suzy Bila em Lisboa e conhecer a sua oficina.

Oito anos mais tarde, a pesquisadora Cristina Gemmino manifestou o interesse de convidar a artista plástica moçambicana para o lançamento de um projecto virado à difusão das culturas dos países que têm português como língua oficial, em Itália.

A escolha de Suzy Bila para o projecto da Associação Cafuné não foi fortuita. Pelo contrário, a organização do evento italiano interessou-se por Suzy Bila ao perceber que a artista tinha apresentado uma individual de pintura sobre a problemática da mulher, nua e crua. Assim, surgiu a ideia de a convidar a integrar um projecto de pintura desenvolvido a partir da leitura da obra de Paulina Chiziane. “Como conheço a realidade da mulher moçambicana e a obra da Paulina Chiziane, faz-me dialogar com o passado que me assiste, aceitei o desafio”, afirmou, esta terça-feira, Suzy Bila.

 

Imagem: O caminho é longo. 2013 obra de Suzy bila. “Exposição nua e crua”

No Sul de Itália, num lugar ainda secreto (será revelado na véspera da sessão), conforme o convite da Associação Cafuné e da responsável artística, Cristina Gemmino, Suzy Bila vai pintar o feminino na companhia da actriz Delia de Marco e da saxofonista Laura Donatone, ambas italianas.

De acordo com a Cafuné, “A tela da Suzy e a interpretação de alguns trechos da obra da escritora Paulina Chiziane, Balada de amor ao vento, vão ser acompanhados pelos toques do sax com o declarado objectivo de convidar as participantes a uma viagem para além do próprio corpo, sugerindo pinceladas de maravilha e estupor e reflectindo sobre o papel da mulher ontem, hoje e amanhã”.

Imagem: O homem que queria ser rico 2013, obra de suzy bila. Exposição “Nua e crua”

 

Suzy refere: “À medida que me encontro como ser reflexivo, vou abrindo portas para entender o que me move. Isto leva-me a uma visão de uma condição do “eu” e a minha subjectividade de mulher artista educadora nascida num país em construção da sua identidade e a arte permite-me encontrar o espaço de desobediência, rebeldia e novas formas de pensar e agir numa procura de significados”.

A sessão que vai celebrar a obra de Paulina Chiziane foi agendada há um ano. Já nessa altura, Suzy Bila ficou fascinada por poder participar. “Senti que a abertura desta nova janela será um começo de algo no qual outras mulheres artistas poderão usufruir no futuro. É um desbravar do caminho. Espero que o entrosamento de literatura e pintura, através do meu olhar pictórico perante a obra da Paulina, Balada de amor ao vento, faça eco noutros espaços, gerando desdobramentos, novas formas de ver os problemas da mulher moçambicana, novos lugares de encontros e de reflexão, partindo de Itália para o mundo”.

O lugar secreto onde a pintura da obra irá iniciar é uma fazenda italiana. Depois, a pintura será terminada na presença do público e leiloada para apoiar a iniciativa cultural da Cafuné.

Suzy Bila termina referenciando que falar da arte é quebrar fronteiras e tirar sentido ao mundo onde tudo tem um nome. “É começar continuamente, é algo que se liga à vida que nos confronta com as nossas peculiaridades, atravessando todas as barreiras e vivendo mais longe dentro de ti e tão perto de si”.

Associação Cafuné

A Associação Cafuné é uma entidade que propõe uma série de eventos que desempenham um papel dinâmico e criativo, tanto para a preservação de contextos históricos já presentes no cenário cultural da Puglia (região do Sul de Itália) quanto para a promoção da cultura dos países de língua portuguesa.

A Cafuné tem como objectivos atrair o participante nativo e acompanhá-lo na descoberta dos universos de língua portuguesa, promover a literatura de língua portuguesa, promover e patrocinar acções de debate sobre literatura, artes e cultura e estimular iniciativas em defesa da difusão das culturas de língua portuguesa.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos