O País – A verdade como notícia

Suspeitos de ligação à fuga de 17 reclusos detidos

Seis pessoas estão detidas, entre as quais cinco guardas prisionais, na sequência, este domingo, da fuga de 17 reclusos do Estabelecimento Penitenciário Provincial de Sofala-Sede.

O sexto suspeito é o condutor de uma das viaturas usadas para transportar os fugitivos e foi detido em flagrante, de acordo com um comunicado disponibilizado, ontem, pelo Serviço Nacional de Prisões.

Na evasão foram usadas duas viaturas – Toyota Corola e Ford Ranger -, sendo que a primeira foi apreendida e a segunda continua ainda em parte incerta.

Dos 17 reclusos em fuga, dez foram condenados por diversos crimes e os restantes sete estavam em prisão preventiva.

“Das constatações aferidas no local, notou-se que o agente de permanência de serviço dispensou, uma hora antes do sucedido, dois guardas penitenciários que estavam de serviço. O agente de permanência teria aberto as celas do estabelecimento e sem guarnição suficiente naquele perímetro deslocou-se ao portão principal que dá acesso ao exterior do estabelecimento prisional, por onde fugiram os citados reclusos”, lê-se no comunicado do Serviço Nacional de Prisões.

Na circunstância, já no Estabelecimento Penitenciário, a direcção terá se apercebido da movimentação de duas viaturas estranhas no exterior identificadas, o que despertou para a fuga.

O Serviço Nacional de Prisões abriu um inquérito para apuramento das circunstâncias, causas e condições em que a fuga ocorreu.

Lembre-se que em 2012, pelo menos nove perigosos cadastrados, entre detidos e condenados a penas que variam de cinco a 18 anos de prisão maior, evadiram-se da Cadeia Central da Beira.

Os reclusos escaparam numa altura em que chovia torrencialmente, através de um vão de uma das janelas da cela onde se encontravam encarcerados.

A Polícia da República de Moçambique (PRM), adstrita à 1ª Esquadra na Beira, conseguiu recapturar apenas um dos reclusos identificado pelo nome António Chambota, de 24 anos de idade, condenado a oito anos de cadeia por homicídio voluntário.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos