O País – A verdade como notícia

 “Supostos desvios do valor das dívidas ocultas podem ter sido feitos no estrangeiro”

A Procuradora-Geral da República, Beatriz Buchili, disse, durante seu informe anual ao Parlamento esta quarta-feira em Maputo, que a ter havido desvio de fundos, no caso do empréstimo das famosas dívidas ocultas, estes foram praticados a partir de instituições no estrangeiro, tendo em conta que todos os valores dos empréstimos foram transferidos dos bancos credores situados no estrangeiro, para empresas fornecedoras de bens e serviços também situadas no estrangeiro.

Daí que, segundo a Procuradora, “toda a informação relevante para o seguimento dos valores e aferir dos eventuais desvios, só poderá ser coligada com a colaboração das autoridades judiciárias estrangeiras dos países com que os valores tiveram contacto, como destino ou mero trânsito”.

Apontou também a necessidade urgente de se corrigir fragilidades resultants de obscuridades, deficiências e contradições de textos legais constatadas durante no relatório da autoria e pela Comissão de Inquérito criada para investigar o caso.

Por outro lado, Beatriz Buchili disse que a não publicação, na íntegra, do relatório da auditoria da Kroll sobre as dívidas ocultas, prende-se com o facto de o documento conter informações ainda não conclusivas que carecem de seguimento complementar. Referiu ainda que o relatório tem informações que, publicadas, podem prejudicar as investigacões em curso, para além do risco de violação da presunção de inocência.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos