O País – A verdade como notícia

Suécia apoia electrificação rural em Vilankulo através da EDM

Um novo apoio da Suécia à Electricidade de Moçambique (EDM, EP), avaliado em USD cinco milhões, irá assegurar o acesso à energia eléctrica sustentável a mais de 10 000 famílias no distrito de Vilankulo, província de Inhambane. Com este apoio adicional, a contribuição global sueca para a electrificação da região totaliza USD 44 milhões.

A energia será gerada pelas centrais hidroeléctricas de Mavuzi e Chicamba, levando a uma redução de 67,1 GWH da energia eléctrica, produzida pelos geradores a gás e outras fontes de energia (carvão vegetal e lenha).

A nova contribuição sueca será canalizada para a reabilitação de 14 km de linha danificada pelas inundações entre a Central Hidroeléctrica de Mavuzi e a subestação de Casa Nova.

Trata-se de uma linha de transmissão aérea a 110 KV (OHTL), que irá garantir o fornecimento normal de energia eléctrica a 15.000 famílias, actualmente alimentadas através desta linha, nos distritos de Muxungue e Chibabava (Sofala) e Mossourize e Sussundenga (Manica).

No âmbito do pacote principal, a Suécia está a financiar a construção de uma linha a 110kV de Casa Nova até Temane, incluindo a construção de três subestações eléctricas em Casa Nova, Temane e Vilankulo, que  irá expandir a rede de distribuição para zonas sem energia eléctrica, em Machanga, Govuro, Inhassoro e Vilanculos, ligando 6750 famílias. Através deste financiamento adicional, o número de novas ligações passará das actuais 6750 para 10 000 ligações, maioritariamente em Vilankulo.

“O acesso à energia limpa e segura é um direito humano fundamental e a Suécia está comprometida em apoiar Moçambique no desafio de garantir o acesso universal de energia pelas comunidades mais vulneráveis e, desta forma, reduzir a pobreza, aumentar o acesso à educação e melhorar a saúde pública. Uma infra-estrutura de energia eléctrica estável, segura e menos vulnerável a desastres relacionados com as mudanças climáticas é crucial para a electrificação de Vilanculos e este apoio adicional da Suécia vai apoiar nesse sentido”, disse a embaixadora da Suécia em Moçambique, Mette Sunnergren.

Refira-se que o ciclone Idai, que assolou o país em 2019, causou danos avultados às infra-estruturas de energia eléctrica, incluindo as centrais eléctricas de Mavuzi e Chicamba e as redes de transmissão e distribuição na região centro do país.

Em consequência desta calamidade, após ter as suas infra-estruturas destruídas, a EDM também perdeu as suas receitas e, consequentemente, atrasou o processo de fortalecimento e expansão da rede nacional de energia eléctrica.

Actualmente, a rede eléctrica, segundo dados da EDM, chega a 40% da população moçambicana, com 36% a receber da rede nacional e cerca de 4% através de fontes alternativas.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos