O País – A verdade como notícia

Sub-sector do transporte escolar sente-se abandonado pelo Governo

Proprietários dos carros de transporte escolar na Cidade de Maputo queixam-se de falta de apoios das entidades do Governo e total abandono dos pais e encarregados de educação, durante o Estado de Emergência. Aliado a isso estão os avultados prejuízos económicos causados pela COVID-19.

 

Com a paralisação das aulas em Março do ano em curso devido ao novo Coronavírus o negócio do transporte escolar entrou em colapso, visto que já vinha sem operar por conta da paralisação imposta pelas férias do fim do ano lectivo 2019 e as contas estão a complicar-se. Dércio Nanjane em conversa com O Pais disse ser difícil actualemente trabalhar visto que vem de uma paralisação de três meses por conta das férias e agora com a Covid-19 o trabalho está estagnado. Dércio diz mesmo que mesmo que a situação volte ao normal o subsector vai ressentir-se pois no seu entender nenhum pai vai logo deixar seus filhos entrar em carros escolares. “Numa primeira será complicada, nem todo encarregado terá vontade ou coragem de meter seu filho nas carinhas”. Disse nosso entrevistado que acrescentou que esta apreensivo com a banca visto que trabalha com credito.

Alguns dos carros de transporte escolar servem ao transporte semi-colectivo de passageiros uma alternativa que não é vista com bons olhos por alguns proprietários destes meios de transporte.

Célia Faustino diz não ariscaria seu carro para o chapa. “Não e fácil levar o carro meter no chapa de repente gente volta para escola como e que vou levar as crianças para escola e qual será a segurança para a escola. Prefiro esperar arrumar o carro esperar o que vai dizer nos próximos dias”

Arcilio Fumane tem dois carros  escolares dispensou os três trabalhadores porque não tem como pagar. Fumane preside também a mesa da  assembleia geral da associação dos transportadores escolares de Moçambique diz que mesmo com a agremiação legalizada não tem apoio. E segue com algumas sugestões.

 “Alocar os carros a algumas empresas estatais, haver uma verba que seria essa ajuda para nos para garantir o transporte dos trabalhadores e garantir a sustentabilidade nossa e garantir que os carros retomam a actividade assim que isto terminar”

No Município da Matola foram criadas 12 rotas dentro da Cidade onde foram alocados  os carros de transporte escolar para operar e minimizar os impactos causados pela pandemia.

 

 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos