O País – A verdade como notícia

Statoil desiste das negociações para pesquisa do petróleo em Angoche

O Instituto Nacional moçambicano de Petróleos (INP) assegura que a negociação do contrato para a prospecção e pesquisa de petróleo da Área A5-A da Bacia de Angoche, decorre normalmente, não obstante a desistência da firma norueguesa Statoil, que integrava o consórcio apurado para explorar a área, escreve a AIM.

A Statoil e seus parceiros, a italiana Eni e a sul-africana Sasol, foram declarados vencedores para a área de concessão A5-A no âmbito do 5.º concurso lançado em 2014 pelo Governo. Porém, muito recentemente, a companhia comunicou ao INP a sua intenção de abandonar as negociações sobre o respectivo contrato de prospecção e pesquisa.

O quinto concurso de prospecção e pesquisa de petróleo tem potencial para atrair investimentos para o sector, na ordem de 700 milhões de dólares norte-americanos.

Entretanto, desde o encerramento do concurso, em 2015, os trabalhos no terreno ainda não iniciaram, porque os contratos para o efeito ainda não foram fechados.

Durante o concurso foram recebidas 23 propostas, distribuídas em 11 das 15 áreas colocadas à disposição.

Da avaliação efectuada às propostas, foram apurados como vencedores os consórcios liderados pela Eni Mozambico S.p.A, para a região de Angoche, área A5-A. Na mesma zona, mas já na área A5-B, o vencedor foi a Exxon Mobil E&P Mozambique Offshore Ltd.

Este gigante petrolífero também vai liderar as pesquisas na região do Zambeze, áreas A5-C e A5-D, enquanto a Sasol Petroleum Mozambique Exploration vai liderar as pesquisas na zona de Pande-Temane, áreas PT5-C, e a Delonex Energy Ltd deverá trabalhar na região de Palmeira, Área.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos