O País – A verdade como notícia

Sport Quelimane e Benfica precisa de 3,5 milhões de meticais para requalificar seu pavilhão

A nova direcção do clube Sport Quelimane e Benfica disse, esta segunda-feira, ao “O País” que precisa de mais de 3 milhões de meticais para reabilitar as suas infra-estruturas desportivas, para o retorno da formação.

Do valor necessário para os trabalhos de reabilitação o Sport Quelimane e Benfica já conseguiu obter de parceiros, pelo menos, um milhão de meticais. A informação foi avançada pelo novo presidente do clube, Dowyvan Gaspar, que garantiu que as intervenções vão abrir espaço para a formação com mais de um século reinventar-se para se reafirmar no panorama desportivo provincial e nacional nas competições de futebol, basquetebol, andebol, vólei e criar escolas de formação nas modalidades referidas.

“Conseguimos apoio financeiro por parte de algumas empresas interessadas em ajudar nosso clube. Pelo menos um milhão de meticais já nos foi desembolsado. Neste momento estamos a avançar para a colocação do tecto do pavilhão, tal como podem ver, porque é onde se verifica a infiltração que destrói o piso do pavilhão. A nossa visão é a breve trecho, em função dos orçamentos, avançar para outras infra-estruturas, tal como lojas, cinema entre outras, para garantir a sustentabilidade do clube”, disse o presidente do clube.

A direcção do Sport Quelimane e Benfica pretende, sobretudo, fazer a reabilitação da estrutura do pavilhão multiusos, que já carecia de intervenções. Ora, no local é possível notar que o piso está obsoleto e com remendos de cimento no parquet. Este, segundo a o presidente do clube não dignifica a imagem do histórico e emblemático clube de Quelimane, que outrora deus glórias à província no panorama futebolístico.

Dowyvan Gaspar, eleito há seis meses em assembleia geral, para conduzir os destinos do clube nos próximos quatro anos, precisou que a sua direcção tem como “obrigação” devolver a beleza estética e criar condições adequadas do pavilhão, bem como movimentar equipas de diversas modalidades. Dowyvan diz ainda que numa primeira fase, as atenções estarão viradas para a formação de atletas e só depois irá avançar para escalões de séniores.

Gaspar fez saber que o governo da província da Zambézia, através da Secretária de Estado, Judith Mussácula, já se prontificou em apoiar em 40 metros cúbicos de madeira para fábrico de parquet, para melhorar o piso do pavilhão. Pretende-se, também, remover o piso de cimento em muitos pontos para que os atletas das diversas modalidades se sintam seguros quando estiverem a jogar.

Quando a nova direcção chegou ao poder, de acordo com o presidente do clube, encontrou nos cofres cerca de cem mil meticais. Valor insuficiente para a concretização dos objectivos do clube.

“Temos de correr para a conquista de mais sócios, mas acima de tudo lutar para devolver aqueles que abandonaram o clube, para que voltem a dar o seu melhor no andamento dos objectivos. Vamos pautar por transparência necessária na prestação de contas, de quatro em quatro meses, para que todos se envolvam nas realizações, despesas e tudo quanto ao clube diz respeito” frisou.

Nos próximos quatro anos, a promessa da direção é de devolver a principal infra-estrutura desportiva do clube que é o pavilhão multiuso.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos