O País – A verdade como notícia

Soube de financiamento e levou mais quatro pessoas. Estão todos em tribunal

Soube de financiamento no Fundo de Desenvolvimento Agrário (FDA) e convidou a sua esposa e mais três conhecidos para submeteram projectos. Chama-se Vicente Matine e hoje responde com todos os seus convidados em tribunal. Veja como parte dos acusados entra no esquema de desvio de 170 milhões de meticais:

Vicente Matine conheceu Leopoldina Bambo, empregada de Setina Titosse, num convívio. Eis que esta o informou que o Fundo de Desenvolvimento Agrário estava a financiar projectos. Uma informação que acaba em tribunal e pode custar a sua liberdade.

Matine submeteu projecto ao FDA e teve quatro milhões e 670 mil meticais. Convidou a sua esposa para também concorrer a financiamento e esta conseguiu cinco milhões e 200 mil. Mas a rede continuava a abranger mais pessoas.

Vicente Matine convidou também para o esquema Felisberto Zacarias, seu conhecido, que veio a receber do FDA cinco milhões e 118 mil meticais. Lazão Mondlana, igualmente conhecido de Vicente Matine também foi concorrer e arrecadou para a sua conta cinco milhões e 41 mil meticais.

Mas há ainda outra pessoa que chegou ao esquema a convite de Matine. Chama-se Adriano Mavie e este é sobrinho de Lazão Mondlana. No seu pedido de financiamento teve 5 milhões e 100 mil Meticais.

Entretanto, todos eles não chegaram a implementar os projectos. Justificam que recebiam ordens para fazer transferências para contas bancárias fornecidas por Vicente Matine, por sua vez, que recebia indicações da empregada de Setina Titosse. O argumento era de que Setina ia se encarregar de procurar espaço para a implementação dos projectos e comprar cabeças de gado. O tempo se foi e não receberam sinal até hoje.

O facto é que das suas contas passaram valores desviados do FDA que variam de quatro milhões a cinco milhões e 200 mil meticais e o Tribunal Judicial da Cidade de Maputo quer saber o seu real envolvimento no esquema.

Estes cinco, incluindo Matine, quem chamava os outros, estiveram hoje a responder ao juiz da causa, Alexandre Samuel e negam ter se envolvido no esquema de forma intencional, dizendo que apenas recebiam ordens.

A empregada de Setina Titosse, Leopoldina Bambo, também submeteu projecto ao FDA tal como os outros e o objectivo era criar gado, mas diz que não foi avante com o projecto.

Entre desmentidos e acusações, os 24 arguidos implicados no desvio de 170 milhões de meticais vão sendo ouvidos em tribunal. Já foram ouvidos 17 e pela frente estão mais sete.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos