O País – A verdade como notícia

“Soldados da Paz” poderão ter uma academia em Nampula

Celebra-se, esta quarta-feira, o “Dia Internacional do Bombeiro”, data instituída em 1999 após a morte de cinco bombeiros num incêndio na Austrália.

Entretanto, segundo o secretário permanente do Ministério do Interior, Victor Canhemba Jr, em Moçambique, os primeiros bombeiros organizados em quartéis surgiram em 1911, na então cidade de Lourenço Marques, e subordinavam-se à câmara municipal.

Com o tempo, o serviço evoluiu ao actual Serviço Nacional de Salvação Pública (SENSAP), organismo público de âmbito nacional e de natureza paramilitar, subordinado ao Ministério do Interior.

Ainda de acordo com a fonte, 4 de Maio é uma data que pressupõe reconhecimento do incansável empenho e prontidão dos também chamados por “Soldados da Paz”, na prevenção e combate a incêndios, socorro e salvamento de pessoas e bens em caso de acidentes, calamidades, catástrofes e outros riscos públicos.

Por ocasião da efeméride, Canhemba Jr destacou, também, a entrega nas operações de resgate e salvamento, durante e depois dos ciclones Ana e Gombe, onde o SENSAP garantiu a salvaguarda de pessoas e bens, evitando e minimizando danos humanos e materiais de monta, encorajando, desta forma, os bombeiros no sentido de manterem a preparação física e superação técnica diária.

A aprovação, pela Assembleia da República, da Lei de Protecção Contra Incêndios e Estatuto Orgânico do SENSAP, foi igualmente saudada pelos “profissionais do incêndio”, como fruto do comprometimento do Ministério do Interior com o desenvolvimento institucional, trabalho este que continuará até à aprovação dos restantes instrumentos do pacote legislativo do SENSAP, preponderantes para a reestruturação da instituição.

A nível institucional, o SENSAP mantém o desafio de se fazer presente em mais pontos do país, não apenas em termos institucionais, como também na qualidade dos seus profissionais. Para materializar este objectivo, estão em carteira os projectos de construção dos comandos de Tete e Maputo e da Academia de Salvação Pública em Nampula que, segundo Canhemba Jr, sustentam a visão da instituição, incluindo o melhoramento dos comandos provinciais do SENSAP.

“No mesmo diapasão, recomenda-se que os comandos provinciais garantam a contínua comunicação das suas actividades, perante os órgãos de comunicação social, criando canais e mecanismos de relacionamento com a imprensa, seja por formações para socialização sobre os procedimentos operativos institucionais, seja pela comunicação permanente das actividades do sector, para que o público interaja com o SENSAP e construa a imagem de uma instituição cada vez mais à altura dos acontecimentos”, disse Canhemba Jr.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos