O País – A verdade como notícia

Só clubes devidamente licenciados vão disputar o Moçambola 2020

Mais da metade, dos 14 clubes que devem disputar o Moçambola 2020, correm o risco de não participar da prova, devido a falta de licenciamento. A informação foi dada conhecer pelo representante da CAF, no encontro que manteve esta terça-feira com a Federação Moçambicana de Futebol, a Liga Moçambicana de Futebol e a Comissão de Licenciamento de Clubes

 

Novas medidas estão a espreita no futebol moçambicano, nomeadamente para os clubes que vão disputar o campeonato nacional de futebol. A partir da edição deste ano do campeonato nacional de futebol, só vão participar equipas devidamente licenciadas no sistema de provas. Esta foi a informação que os órgãos gestores do futebol moçambicano, nomeadamente a Federação Moçambicana de Futebol e a Liga Moçambicana de Futebol, bem como a Comissão de Licenciamento de Clubes receberam da Confederação Africana de Futebol, representada por Muhammad Sidat, gestor de licenciamento de clubes do organismo africano.

Muhammad Sidat explica que a CAF está a iniciar uma verificação pelas federações nacionais, em vários países, para saber se os critérios estão a ser cumpridos ou não. “Vamos começar com verificações este ano, entre cinco a dez federações nacionais vão receber inspecções aleatórias da CAF, iguais a que foram feitas para o Estádio Nacional do Zimpeto e o Estádio da Machava e vamos verificar se, de facto, as licenças que estas federações tem atribuído aos seus clubes para participarem nas suas competições nacionais e da CAF respeitam as normas estabelecidas”, disse Sidat, deixando claro que não haverá meias medidas para os prevaricadores.

Aliás, somente “clubes devidamente estruturados, que reúnam critérios de licenciamento, serão os que vão participar nas competições profissionais do país”, sendo relegados os restantes.

 

Incumprimento pode levar a multas de até 15 mil dólares

Mesmo sem mencionar quais os países que serão visitados pela CAF para monitoria, Muhammad Sidat deixou claro que todos devem estar atentos, pois em caso de incumprimento das mesmas, as próprias federações nacionais serão sancionadas.

Para Sidat “chegou o momento da federação implementar mão dura perante os clubes que não cumprem com os requisitos, porque nos próximos meses ou durante esta época, uma verificação virá da Confederação Moçambicana de Futebol e em caso de incumprimento, a CAF vai sancionar as federações com multas em montantes que podem ascender aos 15 mil dólares americanos”. Por isso há que os países serem rigorosos com os seus clubes caso não queiram sentir a mão dura da CAF.

Ademais, Muhammad Sidat disse que esta medida é no âmbito da preocupação que a CAF tem para os clubes menos organizados estruturalmente, pois isso faz com que haja pouca qualidade do futebol em alguns países e a mesma fraca qualidade ser extensiva a provas africanas de clubes, nomeadamente a Liga dos Campeões e da Taça CAF, bem como de selecções, nomeadamente o CAN e o CHAN, que exibem jogadores de fraca qualidade.

 

CLC reitera medidas severas aos prevaricadores

Para já, a Comissão de Licenciamento de Clubes, presente no encontro desta terça-feira, na sede da Federação Moçambicana de Futebol, garante que somente clubes devidamente licenciados vão disputar o Moçambola. Aliás, a Primeira Instância da Comissão de Licenciamento de Clubes tem autonomia para sancionar clubes que não estejam devidamente licenciados, ou seja, não depende de nenhum outro órgão, quer da Federação Moçambicana de Futebol ou da Liga Moçambicana de Futebol, para tomar a decisão de impedir os clubes de participarem na prova por falta de cumprimento das regras.

Por outro lado, e caso o Moçambola 2020 inicie nos próximos tempos, a Comissão de Licenciamento de Clubes garante que menos da metade dos clubes que deviam participar na prova estariam fora por não terem cumprido com todo processo de licenciamento. Ou seja, teríamos um Moçambola a ser disputado por menos de sete clubes, que são os que já terminaram o seu processo de licenciamento.

“E preciso vincar que, os clubes que não estiverem devidamente licenciados ou que não tiverem requisitos de licenciamento completos, não irão participar no Moçambola”, clarificou Artur Manhiça, presidente da Primeira Instância da Comissão de Licenciamento de Clubes, que acrescentou que “mais que a metade dos clubes não estão aoptos, neste momento, para disputar o Moçambola, caso tenha que iniciar nos próximos dias”.

Recorde-se que o Moçambola 2020 devia ter iniciado a 04 de Abril último e disputado por 14 equipas, mas devido a pandemia da Covid-19 foi suspensa e sem data para o seu arranque.

 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos