O País – A verdade como notícia

Sindicatos apostam no diálogo social em Tete

O secretário executivo da Organização dos Trabalhadores de Moçambique – Central Sindical (OTM-CS) em Tete, José Freitas, refere que a instituição que dirige aposta no diálogo social como forma de dirimir conflitos laborais, cujo resultado é a prevenção de greves nas empresas, sobretudo na área da indústria extractiva. Freitas entende que o diálogo social é a única fonte de soluções pacíficas na resolução de conflitos laborais.

A fonte acredita que, se não fosse o diálogo social, haveria relatos constantes de greves. Como exemplo, citou o encerramento de empresas subcontratadas pelas companhias mineiras, algo que, na maioria dos casos, acaba deixando os trabalhadores desempregados. “Também nas grandes empresas, poderiam estar a eclodir greves, se não fosse o diálogo social que se evidencia entre os trabalhadores, representados por comités sindicais, e as entidades empregadoras, porque, quando há diferença de pensamento, as partes sentam-se à mesma mesa e discutem os pontos que os separam”, disse, em entrevista à reportagem da AIM.

José Freitas explicou que a OTM, representada pelos comités sindicais nas empresas, não espera pela eclosão de greves para intervir, faz fluir a informação aos demais trabalhadores sobre o que está a acontecer na firma, para evitar surpresas desagradáveis com determinadas medidas da direcção.

Segundo Freitas, a OTM-CS já criou 144 comités sindicais, em 215 centros de trabalho, envolvendo 48 998 trabalhadores, 12 456 dos quais mulheres. 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos