O País – A verdade como notícia

Sindicato de Jogadores intervém para fim da greve do Incomáti

É o fim da greve que vinha acontecendo há já algum tempo em Xinavane, pelos jogadores, mas que só há uma semana explodiu, devido aos atrasos de pagamentos de salários. E foi preciso a intervenção do Sindicato Nacional de Jogadores de Futebol, através do respectivo presidente, António Gravata, mais conhecido por Tony Gravata, que se deslocou a Xinavane para se reunir com os jogadores e encontrar uma solução para a crise.

De acordo com Lance mz, a decisão de acabar com a greve foi tomada após um encontro entre o Sindicato dos Jogadores e a direcção do clube, que contou ainda com a participação de membros do governo provincial e distrital da Manhiça.

Em entrevista ao jornal electrónico Lance, o presidente do Sindicato de Jogadores, António Gravata, garantiu que os jogadores voltarão aos trabalhos, mediante o pagamento de um mês de salário em dívida nas próximas semanas, devendo a direcção procurar mais parceiros que garantam a liquidação da dívida por completo, por forma a que os trabalhos decorram sem sobressaltos nos próximos dias. “A direção do Incomáti acordou com os jogadores que dentro da próxima semana vai se efectuar o pagamento de um salário e como se está em conversações com parceiros, o que está praticamente fechado, a breve trecho vai-se pagar o valor remanescente, incluindo os prémios de jogos”, disse António Gravata ao Lance.

Paralelamente a possíveis sanções que pudessem ocorrer internamente após o registo da greve, há indicações de que nenhum jogador vai sofrer represálias ou sanções, após acordo para efeito. Quem deu essa garantia foi Tony Gravata, ao Lance mz, que respondia a alega informação que dava conta de que Orlando e Luís, dois jogadores do Incomáti e que supostamente seriam os mentores da greve, seriam dispensados.

“Todos jogadores estão integrados no plantel. Sanamos qualquer tipo de mal-entendido que pudesse existir, quer da parte da Direcção quer da parte dos jogadores. Não há nenhum jogador que será sancionado por conta da greve, este é um dos pontos que por nós foi vincado, até porque foi o Sindicato que foi o interlocutor nesta conversa justamente para garantir que não houvesse qualquer tipo de retaliação futura, até porque a Direcção assegurou que essa não era sua intenção ou postura”, vincou o Presidente do Sindicato de Jogadores.

Segundo o Lance, há ainda possibilidade das empresas produtoras de açúcar no país poderem se juntar para apoiar o Incomáti de Xinavane no Moçambola 2019, num acordo que poderá estender-se por duas épocas, ou seja 2019 e 2020.

Os “açucareiros” viram-se averbados uma falta de comparência no passado final de semana, em vistude de não se ter deslocado a Nacala, onde iria disputar o jogo da sexta jornada do Moçambola 2019, diante do Desportivo de Nacala. Ainda assim, incorre a uma multa pela ausência, que pode chegar aos 200 mil meticais, uma vez que o caso foi remetido ao Conselho de Disciplina da Liga Moçambicana de Futebol.

Recorde-se que o Incomáti de Xinavane tem um jogo marcado para esta tarde, diante do Desportivo da Matola, referente a final da Taça de Moçambique, fase provincial, marcado para o seu campo. O vencedor desta partida vai cruzar caminho do Desportivo de Maputo na fase regional da segunda maior competição futebolística do país.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos