O País – A verdade como notícia

Simango considera que MDM perdeu quadro com virtudes para dirigir Mocímboa da Praia

O Presidente do Movimento Democrático de Moçambique, Daviz Simango, considera que o partido perdeu um quadro com virtudes e capacidades suficientes para dirigir e ajudar no desenvolvimento da autarquia da Mocímboa da Praia. Reagindo a morte de Salimo Saíde, a seis dias das eleições autárquicas, Simango começou por solidarizar-se com a família enlutada, para depois classificar o momento como sendo de tristeza no seio do partido.

“Estamos tristes. Perdemos um companheiro, um companheiro que tinha dignidade, tinha virtudes e capacidades suficientes para aquilo que nós propusemos para a governação em Mocímboa da Praia. A vida é assim, nunca imaginamos o que pode acontecer connosco hoje, portanto, são escrituras de Deus, ele é que sabe o que nos espera no dia-a-dia. Estendemos as condolências à família e aos quadros do partido”, disse.

Daviz Simango garante, contudo, que o partido vai continuar firme na corrida eleitoral para dignificar o nome de Salimo Saíde. “Como partido, vamos continuar a marcha. Estava escrito que na data de ontem, o MDM ia perder o seu quadro e teria que caminhar sem ele. Nós vamos às eleições, estamos a fazer a campanha com muita energia e sobretudo vamos tentar dignificar a honra e o nome do nosso companheiro”, terminou.

Salimo Saíde morreu na manhã desta quarta-feira vítima de doença. Com a morte do cabeça-de-lista, sobe para o seu lugar o número dois da lista.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos