O País – A verdade como notícia

SERNIC promete esclarecer o desaparecimento da relva no Zimpeto

Foto: Desafio

Continuam em paradeiro desconhecido as 40 toneladas de relva sintética desaparecidas em Abril, no Estádio Nacional do Zimpeto. Entretanto, o Serviço Nacional de Investigação Criminal, sem avançar muitos dados, diz dispor de algumas pistas para esclarecer o caso.

Pode estar perto do fim o mistério em torno do desaparecimento da relva sintética no Estádio Nacional do Zimpeto, na Cidade de Maputo. Saudelino Massingue, porta-voz substituto do SERNIC na Cidade de Maputo deu a conhecer parte das acções em curso, com vista ao esclarecimento do caso.

“As investigações continuam. Dentro em breve, vamos trazer resultados acerca desse crime de desaparecimento da relva no Estádio Nacional do Zimpeto. Temos algumas pistas que nos levaram ao esclarecimento desse crime”, afirmou Massingue.

Ainda segunda-feira, o SERNIC apresentou quatro funcionários da Universidade Pedagógica de Maputo, acusados de furto de sete computadores, que saíram daquela instituição disfarçados de lixo. O principal suspeito do crime é o administrador do campus principal da UP-Maputo, um funcionário com 30 anos de serviço.

“Estou com sentimento de culpa e de arrependimento, acima de tudo. Tudo isto começa quando eu falo com o chaveiro. Era um assunto nosso. Eu disse-lhe que precisava de dois computadores – um seria para mim e outro para si, caso quisesse para uso pessoal”, explicou o indiciado.

Saudelino Massingue explica como foi possível neutralizar o grupo de quatro funcionários.

“Temos registado vários casos de furto em todas as instalações da UP-Maputo. Trabalhando com as nossas fontes, conseguimos ter a informação [necessária] para o esclarecimento deste crime”

Além do administrador do campus da UP Maputo, há, ainda neste grupo, um chaveiro, um motorista e um assistente administrativo.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos