O País – A verdade como notícia

SERNIC aborta rede de tráfico de viaturas em Manica


O Serviço Nacional de Investigação Criminal (SERNIC) desmantelou, sábado último, na cidade de Chimoio, em Manica, uma rede de tráfico de viaturas roubadas na vizinha África do Sul.

A rede, segundo o SERNIC, há muito que vinha operando numa residência, localizada no Bairro Heróis Moçambicanos, na cidade de Chimoio.

As viaturas roubadas eram alteradas as suas características, tratadas as matrículas e depois vendidas, numa acção que conta, segundo o SERNIC, com a conivência das Alfândegas, INATRO e Conservatória dos Registos e Notariado.

Mas o caso que fez deixar cair a máscara foi de duas viaturas de alta cilindrada, da marca Toyota Fortuner, último lançamento,  desviadas no passado dia 30 de Junho num parque de aluguer de viaturas denominada Hertz Car Rental, em Joanesburgo.

Para desviarem as viaturas, os supostos assaltantes fizeram-se passar por clientes, e após passarem dias combinados, em que deviam devolver as viaturas, o parque accionou a provedora do sistema de rastreio de viaturas nelas instalado e descobre, para a sua surpresa, que as mesmas já estavam parqueadas num condomínio em Chimoio.

Foi assim que os proprietários da Hertz Car Rental aperceberam-se que estavam diante de uma fraude, tendo, de imediato, informado a Interpol que contactou o SERNIC que na sexta-feira foi ao local do crime, tendo interpelado com recurso a um mandato, o proprietário da casa. Fala-se de um alegado proteccionismo que abortou a recuperação das viaturas.

Apercebendo-se da presença dos homens do SERNIC, Lourenço Jaime Matsinhe, proprietário da residência onde era palco do esquema, chamou o seu advogado e Procurador-chefe da cidade de Chimoio, que impediram que as viaturas não fossem levadas e montaram um sistema de bloqueio.

O SERNIC não tem dúvidas que o esquema é facilitado por alguns agentes das autoridades ligadas ao desalfandegamento, matrícula e atribuição de outros documentos de viaturas.

“A rede é muito complexa. Acreditamos que há muita gente envolvida. Vamos fazer um trabalho junto das Alfândegas, INATRO e Registos e Notariado para apurar quem são as pessoas que facilitam o esquema de atribuição de documentos”, disse Amed Bulacho, porta-voz do SERNIC, em Manica.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos