O País – A verdade como notícia

Sepultura de Dom Alexandre dos Santos está localizada por detrás do altar

Foto: O País

Já está pronto o local onde serão depositados os restos mortais do cardeal Dom Alexandre dos Santos. Trata-se da parte traseira do altar da Sé Catedral de Maputo, onde foi sepultado o primeiro cardeal em Moçambique, Dom Clemente de Gouveia, em 1962.

Chama-se Sé Catedral de Maputo Nossa Senhora da Conceição, local cuja primeira pedra foi lançada em Junho de 1936.

É naquele local onde, no dia 7 de Outubro corrente, vão decorrer as cerimónias fúnebres e enterro do Arcebispo Emérito da Arquidiocese de Maputo.

Reza a história que, no início do cristianismo, os cristãos usavam as criptas para orações e também para sepultar os seus entes queridos, por considerarem locais santos. Mas, não é por essa razão por que será sepultado o Dom Alexandre naquele local conforme explicou o Vigário Paroquial, Hilário Francisco.

“A igreja é um lugar da presença de Deus por excelência. É o lugar onde cremos que é o anúncio da vida futura. Então, ao sepultarmos o Dom Alexandre dos Santos aqui, na Sé Catedral, é uma espécie de sala do paraíso.”

E é por ser sagrado que foi preparado com muito tempo de antecedência o coval que vai receber a urna. Trata-se de um coval com pouco menos de dois metros de profundidade, com uma largura de um metro e quase três metros de comprimento.

Naquele local, estão disponíveis três covais, estando dois praticamente ocupados, um desde 1962, o segundo pronto apenas esperando que seja colocada a urna do Dom Alexandre dos Santos. O terceiro espaço, ainda encerrado, aguarda por um Romano Pontífice, Cardeal ou Bispo Diocesano, conforme mandam as normas.

“Normalmente, as pessoas são sepultadas na cripta da igreja, um local na cave, mas esta catedral não possui uma cripta. O local melhor identificado foi atrás do altar. Ele podia ter escolhido outro local, como na entrada da catedral, por exemplo, mas não foi o caso”, explicou Hilário Francisco.

O corpo do Cardeal, depois de vestido com trajes de cor roxa e com as insígnias da missa estacional, numa urna, será colado naquele local e posteriormente encerrado, para nunca mais ser aberto.

“Aquele local é sagrado, pois é onde repousam as figuras que serviram a igreja e o país. É lugar de veneração, onde na nossa cultura não passamos sem prestar vénia e fazer a pequena oração: dá-lhes senhor, o eterno descanso.”

E assim se procede, não só pelas normas, mas pelo reconhecimento dos 28 anos de trabalho que o Arcebispo Emérito prestou à Arquidiocese de Maputo.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos