O País – A verdade como notícia

Sentença do caso ataques armados em Cabo Delgado marcada para Abril

A sentença do primeiro processo crime relacionado com os ataques armados em Cabo Delgado, será proferida pelo Tribunal Judicial da província a 24 de Abril próximo.

A data foi anunciada ontem, 27 de Fevereiro, pelo juiz do caso, Geraldo Patricio, no fim da sessão de alegações finais, onde o Ministério Público pediu que o tribunal condene a 40 anos de prisão, aos mentores dos ataques.

“O Ministério Público promove que os co réus que desempenharam o papel de coordenadores e logísticos, haja agravamento extraordinário das penas e que seja aplicada uma pena de 40 anos de prisão”, alegou Rodrigo Munguambe, do Ministério Público.

Entretanto, o bloco de defesa pediu absolvição dos arguidos alegadamente por falta de provas e testemunhas.

“A Defesa pede ao doto do Tribunal que acusação seja considerada improcedente, não provada e sem qualquer fundamentos legal dos factos articulados, beneficiando a dúvida ao réu”, argumentou Ussene Daniel, um dos elementos  do grupo de defesa.

“Ficou assente que não houve uma  investigação condigna de modo a demonstrar as provas dos agentes do crime, estando assim, o Ministério Público faz uma acusação genéricas”, acrescentou Falume Anli, do bloco da defesa, que pediu como alternativa, penas atenuantes, por não haver provas contundentes que incidem directamente aos  réus.

O Tribunal, registou detalhadamente os últimos argumentos de todos intervenientes no processo, incluindo a dos arguidos que  repetiram as declarações constantes dos autos, e voltaram a dar mesmas respostas proferidas durante as sessões de interrogatório, no final das alegações, o juiz da causa, Geraldo Patrício, pediu tempo para analisar o caso com profundidade.

“Devido a complexidade do caso e o elevado número de arguidos, o Tribunal precisa de Tempo para analisar com profundidade, por isso pedimos 2 meses, e voltamos a 24 de Abril próximo para a sentença”, anunciou em jeito de pedido o juiz da causa Geraldo Patricio.

O julgamento do primeiro  processo crime relacionado com os ataques armados em Cabo Delgado, começou a 3 de Outubro de 2018, e devido ao elevado número de arguidos, algumas fases do julgamento decorreram nas cadeias onde estavam detidos os acusados.

Segundo apurou a Stv, uma parte dos 189 arguidos do processo  32/2018, foram julgados a revelia por não terem comparecido nas audiência, e para outros réus,  o tribunal teve de extinguir a responsabilidade criminal, por terem perdido a vida nas cadeias antes do desfecho do caso.

Em Março próximo, o Tribunal Judicial da província de Cabo Delgado, vai iniciar o julgamento de mais 2 dos 4  processos relacionados com os ataques armados, abertos desde 2017, ano em que um grupo de insurgentes cuja origem e motivações continuam desconhecidas, iniciou actos de terror contra civis e militares.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos