O País – A verdade como notícia

SENAMI recusa cerca de 100 estrangeiros ilegais

Noventa e cinco cidadãos estrangeiros foram recusados à entrada em Moçambique, entre terça e quarta feira, pelo Serviço Nacional de Migração, através do Aeroporto Internacional de Mavalane, em Maputo, Na maior parte dos casos a recusa deveu-se ao porte de documentos falsos e à falta de clareza quanto ao motivo da vinda ao país.

O grupo recusado hoje é composto de 52 cidadãos de um total de 95, a entrada no território nacional sendo que os restantes 43 foram de terça-feira, através do posto de travessia do Aeroporto Internacional de Mavalane que, na sua maioria, são de nacionalidade Bengali. A documentação falsa está na origem da recusa, pelas autoridades migratórias.

“No dia 28 de Novembro, o SENAMI interpelou 43 cidadãos maioritariamente bengalis com 17, 11 etíopes, 10 somalis e seis paquistaneses e hoje foram recusados 52 cidadãos estrangeiros dos quais 35 bengalis, sete etíopes, cinco paquistaneses e cinco somal, totalizando 95 recusas durante os dois dias que mais de 50 por cento apresentavam-se com o visto falso e apenas dois, por falta de clareza do motivo de vinda ao país”, disse Cira Fernandes, a porta-voz do Serviço Nacional de Migração.

A fonte referiu que os cidadãos em causa serão autuados de acordo com a legislação fiscal/migratória e de imediato serão devolvidos aos seus países de proveniência.

“A companhia que os trouxe terá que os levar de volta às suas pátrias”, referiu.

Por seu turno, os imigrantes dizem que vinham em regime de visita de curta duração e que não sabiam que os documentos eram falsos.

“Eu não sei o que está a acontecer. Tenho documentos de visita por dois meses”, declarou Ekram, um dos emigrantes.

O SENAMI compromete-se a intensificar medidas de fiscalização para neutralizar tentativas de imigração clandestina. E quanto aos recusados nestes dois dias serão repatriados às suas origens sendo que o processo iniciou esta terça-feira e prevê-se que seja concluído ainda dentro desta semana.

“Estamos a reforçar as acções de fiscalização para que possamos controlar severamente a entrada ilegal de estrangeiros no país principalmente nestes dias em que aproximamos a quadra festiva onde há maior tendência de entradas”, deliberou a fonte e acrescentou que o SENAMI está a trabalhar em coordenação com outras instâncias como ACIPOL e as autoridades policiais, nas fronteiras e ainda com as representações diplomáticas moçambicanas em vários países de maior fluxo migratório, com vista a eliminar a situação de imigrações clandestinas.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos