O País – A verdade como notícia

Selecção sub-20 de futebol empata com Marrocos a duas bolas

A Selecção sub-20 de futebol (Mambinhas) empatou, hoje, com Marrocos a duas bolas, em segundo jogo amigável. Moçambique até saiu ao intervalo a vencer por 2-0, mas, na segunda parte, os marroquinos conseguiram chegar à igualdade.

Em busca de uma equipa para o Torneio Cosafa, Dário Monteiro está. Mas, há que, primeiro, buscar resultados e um conjunto coeso. Por aí, houve o mote da exibição de ontem.

E mais: Novembro está próximo e a peleja pela presença na restrita lista dos que vão lutar para estar no Torneio Cosafa, em Dezembro na África do sul, está uma loucura.

Com uma equipa transformada em vinho depois da água do sábado, Dário e seus pupilos fizeram os marroquinos bailarem.

Como resultado, Moçambique adiantou-se logo cedo através da cobrança do castigo máximo. Momed Júnior foi nos 11 metros superior, a iniciar uma boa primeira parte e fez 1-0. Mas havia mais. Xaimin Mailosse aparece na boca da baliza de Ablelah Bentoyg, depois de um centro pela direita, para 2-0. Com este resultado, recolheu-se ao descanso que, para Marrocos, foi para recarregar.

Mohamed Radid, 10 nas costas, acusou a camisola e muito mais. Entrou em cena, todo mansinho assumiu tudo e tudo mesmo: braçadeira, o jogo, até o resultado. Os dois golos viriam a sair dos seus pés.

Tudo começa numa perda de bola no meio campo. Yassifi Khalifa calcula o “timing” da entrada do capitão, que parte de traz para frente, pela direita, para fazer o resto na cara de Fazistêncio. Passavam 69 minutos.

Para não variar, aliás a variação só houve mesmo no tempo. Aos 80 minutos, Radid colocou o jogo igualado ao castigar a mão de Ezequiel Machava, na pequena área, após um cruzamento pela direita. Colocação soberba para o ângulo inferior direito do guarda-redes moçambicano, a bola foi morrer no fundo das malhas.

 

HOJE FIZEMOS DIFERENTE

O seleccionador nacional dos Mambinhas, Dário Monteiro, era, depois do jogo, um homem de argumentos positivos.

“No primeiro jogo, os rapazes não conheciam este adversário, por isso não estivemos bem. Hoje, tivemos uma exibição diferente ao fechar as linhas do Marrocos. E mais: são rapazes que estão pela primeira vez na selecção. Se tiverem reparado, apenas José Zavala foi vencedor do COSAFA, ano passado. Ainda assim, jogamos bem perante uma equipa que trabalha há 10 anos. Estes jogos permitiram-nos avaliar com quem podemos contar para o futuro, nos 22 jogadores que temos, para defender a Taça na Cosafa. Não queremos contar com jogadores que não são talentosos. A selecção de Moçambique tem de ter jogadores com talento. O talento é muito importante para se adquirir qualidade, porque com base nele trabalhamos para se ter qualidade”.

 

FOI UM JOGO BEM DISPUTADO

A equipa técnica do Marrocos rendeu-se à viragem dos rapazes de Dário Monteiro, em função do resultado do último sábado. Nabil Baha projecta um Moçambique com qualidade nos próximos tempos.

“Foi um jogo muito disputado. Estivemos perante uma boa equipa. Sempre vale a pena jogar fora de modo a que os jogadores se adequem a outras realidades. Acho que foi um bom aprendizado”.

 

MAIS JOGOS DE CONTROLO À VISTA

O presidente da Federação Moçambicana de Futebol, Feizal Sidat, projecta mais jogos de controlo para a selecção sub-20 já pensado no Torneio Cosafa.

“Estivemos bem perante uma selecção muito forte. Estamos a falar de um conjunto com jogadores que actuam na Espanha, França e Holanda. Demonstramos que temos qualidade e com trabalho podemos fazer uma grande selecção. A perspectiva da Federação Moçambicana de Futebol é trazer selecções de outro nível. Estamos em contacto com Turquia, outras selecções da Europa e não só, para bebermos um pouco de outro tipo de futebol. Queremos mostrar que temos qualidade e jogadores talentosos que podem jogar em grandes clubes”.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos