O País – A verdade como notícia

Selecção feminina de sub-20 pronta para “dar o troco” à África do Sul

Fotos: FMF

Depois da derrota na primeira mão, em Maputo, por 0-1, diante da África do Sul, as meninas de sub-20 de futebol feminino querem “dar o troco”, vendendo no terreno da adversária e garantir a passagem à etapa seguinte da fase de qualificação ao Campeonato do Mundo da categoria, que terá lugar na Costa Rica, em 2022.

Foi com essa pretensão que deixou a capital do país, esta quarta-feira, com destino a Joanesburgo, para o jogo da segunda mão, que terá lugar no sábado, nas terras do rand. Apesar da desvantagem consentida em casa, a seleccionadora nacional, Júlia Fumo, mostra-se confiante e explica que, com muita determinação, é possível dar a volta à eliminatória.

“Embora tenhamos perdido na primeira mão, o grupo está motivado. Estivemos a trabalhar nestas duas semanas. Estamos a fazer de tudo para contrariar o resultado em casa”, disse Júlia Fumo à FMF.

Para esta empreitada fora de portas, a equipa moçambicana parte desfalcada de uma das suas maiores jogadoras, nomeadamente Amália, que se recupera de uma lesão, entretanto Júlia Fumo afirma estar tudo controlado e que, apesar de ser um adversário difícil, espera que a equipa dê o seu melhor. Até porque conta com o apoio do povo moçambicano que reside naquele país do sul do continente.

A vitória das sul-africanas, na primeira mão, não sofreu qualquer contestação, em razão da sua superioridade, com algum “perfume” à mistura. Tem jogadoras com grande apuro técnico, casos da capitã Lonathemba, uma verdadeira líder do sector defensivo, a Thembelilhe, “dor de cabeça” no ataque, e outras que, a médio e longo prazos, podem ser grandes referências no futebol feminino do seu país.

Apesar da grandeza sul-africana, a selecção nacional também deixou algumas notas indeléveis. A capitã Joana Brenhuze “Joaninha”, de Sofala, que, por várias vezes levantou a minúscula plateia com os seus cortes e alívios em momentos cruciais, para além da Rosalina Mondlane, no ataque, que foi uma das mais inconformadas, a par da Paula Malate que esteve perto de marcar.

Mais notável ainda foi a prestação da guarda-redes moçambicana, Neima Nhamirre, que certamente justificou a sua escolha para defender a baliza das sub-20.

A selecção sub-20 feminina do nosso país fez o seu último treino em solo pátrio na manhã desta terça-feira, no campo da FMF, na Machava, e já em solo sul-africano vai realizar duas sessões, sendo a primeira esta quinta-feira e na sexta-feira, à hora do jogo, o treino de adaptação ao relvado.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos