O País – A verdade como notícia

Selecção de Basket pronta para dominar Kigali

A selecção nacional de basquetebol do nosso país já se encontra em Kigali, capital do Ruanda, onde participa, de 25 a 27 deste mês de Novembro, ou seja, entre quarta e sexta-feira, na janela de apuramento ao Afrobasket-2021.

Chegados na sexta-feira, o conjunto nacional foi submetido a testes da COVID-19, tendo sidos colocados em isolamento até ao anúncio dos resultados dos testes. Este domingo os testes foram anunciados e com eles a confirmação de que todos elementos estão negativos e prontos para iniciar a saga de apuramento ao Afrobasket-2021.

Os testes realizados na sexta-feira após a chegada da delegação foi o primeiro realizado em solo ruandês, sendo que voltará a realizar mais um amanhã, terça-feira, antes da realização das provas.

Assim, com os resultados do teste do novo coronavírus conhecidos, o combinado nacional está autorizada a realizar treinos em preparação aos jogos que tem pela frente.

Neste domingo os pupilos de Milagre Macome realizaram o seu primeiro treino na Arena Kigali, o pavilhão que vai acolher os jogos deste evento qualificativo para o Campeonato Africano, que também tem lugar no Ruanda.

Entretanto, o seleccionador nacional de basquetebol masculino, Milagre Macome, fez um balanço positivo do período de preparação que teve lugar em Maputo, antes da deslocação ao Ruanda, mesmo tendo sido impedido de levar alguns jogadores preponderantes devido a pandemia da COVID-19.

Aliás, Macome lamentou o facto de não se ter cumprido os 100% dos treiunos que tinham sido agendados, mas diz que “tivemos uma participação nos treinos de 95 por cento com a excepção de um ou outro caso, como o caso conhecido de Pio Matos Jr que apresentou-se tardiamente selecção, apresentou a sua justificação e desculpa à federação, a equipa técnica e ao grupo de trabalho e integramo-lo na selecçāo, tivemos uma participação boa dos atletas, tínhamos perspectivado 30 unidades de treino infelizmente não conseguimos cumprir com todas, fizemos 27 sessões de treino, por isso o balanço que fizemos é bom e acreditamos que podemos dignificar o país no contexto em que nos encontramos actualmente”, disse Milagre Macome, citado pelo jornal electrónico Lance.

Em solo ruandês, o combinado moçambicano vai medir forcas com Senegal, Angola e Quénia e lutar por ocupar uma das três vagas que darão acesso à participação no Afrobasket -2021, mas nada que deixe Milagre Macome com os nervos à flor da pele, já que está confiante num bom desempenho dos seus pupilos.

Citado pelo Lance, Macome disse que “estamos confiantes, senão não estaríamos aqui, é preciso haver confiança, compromisso, haver crença e acreditar que é possível nas condições em que nos encontramos, sem competição interna, sem trabalho de grande nível interno, acreditamos que os outros também estão assim, estamos a partir todos em pé de igualdade, é possível disputar a competição, com os pés bem assentes na terra, reconhecendo o potencial e o valor dos adversários que vamos encontrar na competição e acreditamos com rigor, compromisso, com trabalho é possível fazer um bom trabalho”, mostrou-se confiante o seleccionador nacional.

Na lista de convocados para a janela de Ruanda estão os bases Pio Matos e Orlando Novela, ambos do clube Ferroviário de Maputo. Em realção aos extremos, fazem parte dos convocados Milton Caifaz, Hugo Martins e David Canivete, do Ferroviário de Maputo e Ismael Nurmamade do Ferroviário da Beira. Quanto aos postes, são parte do conjunto nacional Custódio Muchate e Inélcio Chire, do Ferroviário de Maputo, Octávio Magoliço do Costa do Sol, Jeremias Manjate do Sporting de Portugal e Helton Ubisse do Ferroviário da Beira.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos