O País – A verdade como notícia

Sasol financia construção da Arena de Vilankulo com 300 mil dólares

Fotos: O País

A Sasol vai patrocinar a construção da Arena de Vilankulo que vai acolher o Campeonato Africano das Nações de Futebol de Praia. O financiamento é de 300 mil dólares que foram alocados ao Conselho Municipal de Vilankulo que gere a construção da obra.

O Campeonato Africano das Nações de Futebol de Praia vai decorrer dentro de três meses, ou seja, em Agosto próximo, e uma das infra-estruturas mais importantes para que a prova tenha lugar ainda não está construída: a Arena de Vilankulo.

Para que a mesma seja terminada dentro dos prazos estabelecidos, a Sasol, empresa de gestão de gás e petróleos, entrou no apoio à organização e financiou a construção do empreendimento em 300 mil dólares, cerca de 19 milhões de Meticais.

Para a Sasol, esta parceria com o Conselho Municipal de Vilankulo e a Federação Moçambicana de Futebol, para a organização e realização do CAN de Futebol de Praia, é uma forma de contribuir de forma activa para o desenvolvimento do desporto nacional.

“A decisão de patrocinar o CAN de Futebol de Praia materializa o compromisso de criar valor partilhado com as comunidades e contribuir continuamente para o desenvolvimento económico e social de Moçambique”, disse Ovídio Rodolfo, director-geral da Sasol.

Ademais, este apoio de cerca de 19 milhões de Meticais tem como objectivo “apoiar o Conselho Autárquico de Vilankulo a viabilizar a logística da realização do CAN de Futebol de Praia, assegurando a construção e reabilitação de infra-estruturas necessárias para o evento”, disse Rodolfo.

Para a Sasol, na voz do seu director-geral, mais do que patrocinar esta realização do CAN de Futebol de Praia, “pretendemos apoiar uma modalidade que apresenta excelentes prestações, em competições internacionais, nas quais ocupa o top 20 da última actualização do ranking da FIFA”, em alusão ao segundo lugar alcançado no CAN de 2021, no Senegal, a boa prestação no Mundial da Rússia, e a conquista do Torneio Regional da Cosafa, na África do Sul.

Com este tipo de iniciativas, a Sasol pretende contribuir para a manutenção da alta competitividade dos atletas moçambicanos e para a massificação das modalidades, entre as quais o futebol, futebol de praia, basquetebol, tanto em todo o país, como na província, em particular.

“Acreditamos no desporto como factor impulsionador das actividades económicas locais, com particular incidência para a hotelaria e turismo e os serviços a eles relacionados”, justificou Ovídio Rodolfo.

 

MUNICÍPIO PROMETE MELHOR GESTÃO DOS FUNDOS

O financiamento foi entregue ao Conselho Municipal de Vilankulo para a sua gestão, tendo em conta que o empreiteiro que está a construir a Arena de Vilankulo está sob comando da direcção municipal.

Por isso, foi o próprio presidente do Conselho Municipal de Vilankulo, William Tuzine, quem veio assinar o acordo com a Sasol, tendo agradecido pela confiança desta empresa em apoiar o município na organização desta prova continental.

William Tuzine referiu que a ideia de sediar o CAN de Futebol de Praia era transformar Vilankulo num destino turístico, através da massificação de eventos, dando, como exemplo, a organização da Conferência Crescendo Azul, que envolveu cerca de duas mil pessoas.

“Estamos a preparar o CAN de Futebol de Praia, que é um desafio que nos impusemos e já está a acontecer dentro da nossa cidade”, realçou Tuzine para justificar a organização da prova no seu município.

Aliás, William Tuzine destaca o facto de o futebol de praia mostrar a organização do seu município e o facto de trazer mais-valia para o país, através do prestígio.

Até porque, segundo Tuzine, “Vilankulo reúne condições favoráveis para acolher o Campeonato Africano de Futebol de Praia”, destacando os dois hospitais, rural e privado, o aeroporto internacional, a acomodação suficiente e a segurança garantida para os participantes.

“O que faltava para este campeonato era a Arena para a concretização do sonho da FMF e do Município de Vilankulo”, destacou Tuzine, que ainda prometeu fazer melhor uso e aplicação devida dos fundos alocados pela Sasol. “Vamos fazer bom uso desse dinheiro e queremos convidar a Sasol para que faça parte da gestão dos fundos, enviando alguém para trabalhar connosco na gestão e transparência”, garantiu William Tuzine.

A Arena de Vilankulo está avaliada em pouco mais de 69 milhões de Meticais. O Campeonato Africano de Futebol de Praia realiza-se de 21 a 31 de Outubro próximo.

 

OS PASSOS PARA A MATERIALIZAÇÃO DO ACORDO

Esta parceria teve o seu início em Novembro, altura em que o Conselho Municipal de Vilankulo se aproximou da empresa que está sediada na vila do mesmo município, com vista a pedir apoios para a materialização do projecto de organização do CAN de Futebol de Praia, um pedido que teve suporte do Governo provincial e da Federação Moçambicana de Futebol

“Mas porque se tratava do meio do nosso ano financeiro, tivemos sérias dificuldades em enquadrar este pedido”, começou por dizer o gerente das Relações Públicas da Sasol, Mateus Mosse, para contextualizar os passos que ditaram este acordo de financiamento.

De acordo com Mosse, o desporto é importante para a sua instituição, “não só o desenvolvimento físico e psíquico das pessoas, sobretudo para o desenvolvimento económico das sociedades”, o que fez com que o pedido fosse avaliado com alguma cautela.

Foi daí que “fizemos todo esforço para conseguirmos trazer uma participação da Sasol para a realização e concretização do Campeonato Africano de Futebol de Praia que se prevê que tenha lugar no nosso país”, revelou Mateus Mosse.

Aliás, de acordo com o gestor das Relações Públicas da Sasol, “é um privilégio participar deste programa e projecto de realização desta prova no país, e em Vilankulo, em particular”, até porque a empresa tem estado a patrocinar várias actividades e provas desportivas, com destaque para o Campeonato Nacional de Basquetebol, a Liga Sasol, bem como os campeonatos distritais de futebol de Govuro e Inhassoro.

Recorde-se que, para a Liga Sasol, o investimento da empresa de petróleos foi de 24 milhões de Meticais.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos